ELEIÇÕES 2022

PT entra na “briga” por apoio de Flávio Dino

De olho nas eleições de 2022, Partido dos Trabalhadores promove a caravana “Lula Livre, Brasil Livre” para fortalecer a legenda e se posicionar politicamente pelo governo

Foto: Reprodução

O Partido dos Trabalhadores começa neste final de semana a percorrer 20 cidades macrorregionais do Maranhão com a caravana “Lula Livre, Brasil Livre” no o intuito de fortalecer a legenda com vista às eleições de 2022. São Bento será a primeira cidade a receber o primeiro ato da caravana, no Maranhão, promovido pelo Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores. O evento será realizado na Câmara de Vereadores do município.

Segundo o deputado estadual, Luís Henrique Lula da Silva (PT-MA), a atual conjuntura política do Brasil, é extremamente complexa, adversa, e muito difícil, e o ato que ocorreu no último dia 7 de setembro, reafirmou a posição que o PT precisa ter com relação a essa disputa feita pela sociedade, na guerra de narrativas impostas pelo governo Bolsonaro. Um governo que ainda de acordo com o parlamentar, submeteu ao país a todo tipo de agenda negativa, seja uma agenda negativa externa, seja uma agenda econômica, seja ainda uma agenda negativa superficial.  “Vamos a São Bento, que é uma cidade importante da Baixada Maranhense. Por isso vamos fazer lá um grande ato, um movimento de disputa de narrativa, de mobilização do povo, que será marcado por um início muito positivo das caravanas do “Lula Livre, Brasil Livre” no Maranhão”, garantiu.

Unificação de partidos

Na última sexta-feira (16) o parlamentar usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão e em seu discurso fez questão de destacar a recente decisão da unificação de posição dos partidos PT, PSOL, PCdoB, PSB, PDT, Rede, PV e Cidadania em relação à política nacional e ao governo Bolsonaro. “Quase todos esses partidos têm participação nesta Casa e, a partir de agora, decidiram unificar as suas ações de rua no que diz respeito a esse governo desastroso que aí está, o Governo Federal, intensificando a campanha de esclarecimento do povo acerca do mau governo que Bolsonaro faz”, disse.

Em entrevista a O Imparcial, Luís Henrique Lula da Silva ressaltou que virou “Lula Livre, Brasil Livre”, deixou de ser um desejo da liberdade do presidente Lula para ser uma afirmação de um Brasil diferente.

O parlamentar lembrou que o Brasil, tornou-se, conhecido internacionalmente nos últimos anos como o país que mais promoveu o desmatamento no mundo, que empobreceu a sua população, colocando cerca de 110 milhões  pessoas vivendo em situação de miséria e outros milhares de volta abaixo da linha da pobreza. “É por essas e outras questões que nós estamos faremos a caravana “Lula Livre, Brasil Livre”. O movimento já atuava com atos, nas redes sociais e agora estará percorrendo diversas cidades do Maranhão”, explicou o parlamentar adiantando que a caravana pode contar com a presença de nomes de peso do partido.

PT mira governo , vice-governo ou suplência no senado

Além de São Bento, a caravana “Lula Livre, Brasil Livre”, percorrerá as cidades de Bacabal, Pedreiras, Timon, Coelho Neto, São João dos Patos, Balsas, Santa Inês, Governador Nunes Freire, Rosário, Barreirinhas, Chapadinha, São Bernardo, Coroatá, Caxias, Presidente Dutra, Grajaú, Açailândia, Imperatriz com encerramento em Pinheiro. “Com essa medida nós pretendemos colocar a campanha “Fora Bolsonaro”, colocar o impeachment do presidente em debate com a população com esta caravana que ocorrerá até o dia 27 de novembro”, disse Luís Henrique Lula da Silva.

Sobre até que ponto a caravana “Lula Livre, Brasil Livre” pode fortalecer ainda mais o Partido dos Trabalhadores para a campanha eleitoral para governador, deputado estadual, deputado federal, senador e presidente da República, Luís Henrique Lula da Silva, tem a pretensão de qualificar, instruir o militante da legenda para que tenha condições de verbalizar a situação que se passa no Brasil, além de buscar um posicionamento do PT. “Naturalmente que hoje o governador Flávio Dino (PSB) tem na sua base política três candidaturas. Nós também queremos saber se um dos nossos nomes expressivos do partido se não serve  para colocar nessa balança de [pré-candidatos] que o governador pretende decidir o nome que unificará o seu grupo ou parte dele no sentindo da sua própria sucessão. Nós temos a pretensão de discutir e expor as nossas lideranças com testagem de pesquisa e de populações que iremos circular no estado”, acrescentou o parlamentar.

Luís Henrique Lula da Silva, também não descartou a possibilidade do Partido dos Trabalhadores no Maranhão de lançar uma candidatura majoritária para concorrer ao governo do Maranhão. Ele reafirmou que a preocupação nesse momento é posicionar a legenda no processo político do estado. “Nós estamos saindo da inercia para sermos protagonistas no sentido que possamos disputar espaço não só na chapa proporcional de deputados estaduais e federais, mas na chapa majoritária podendo compor como suplente de senador do governador Flávio Dino, podemos compor como vice-governador na chapa que ele está tentando construir de unidade dentro do seu grupo ou podemos sim pensar que um dos nomes que temos como o secretário de educação Felipe Camarão para disputar  caso não haja um acordo. Nesse momento não há uma decisão. O PT nacional remeteu essa decisão para março do ano que vem independente da decisão que o governador vai tomar agora em novembro”, pontuou o parlamentar

O deputado estadual confirmou que Felipe Camarão entrou no Partido dos Trabalhadores para disputar a uma vaga na Câmara Federal, e que a legenda pode o chamar para concorrer ao cargo de governador, ressaltando que a composição de chapa em uma possível situação “secundária” que seria de vice ou suplente de senado ficaria para um outro momento, apesar de reconhecer a força do momento do secretário de educação do Maranhão.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias