CRIME

Polícia prende suspeito da quadrilha que promoveu ataque a Nubank

Os criminosos mandavam e-mail falsos com a finalidade de coletar dados e invadir as contas bancárias

Foto: Reprodução

Durante a quinta-feira (22), a Polícia Civil informou que foi preso no município de Imperatriz mais um dos líderes da quadrilha de hackers que causou um prejuízo de cerca de R$ 13 milhões ao Nubank, tendo vítimas no Maranhão e de outros estados do país.

Leia também: Polícia prende um dos líderes de quadrilha de hackers que fez ataque a banco digital

De acordo com a polícia, os hackers teriam enviavam um e-mail ou SMS falso para realizar a coleta dos dados das vítimas. Com estas informações, eles conseguiram invadir as contas de clientes e transferiram altos valores, fazendo com que a instituição financeira arcar-se com o prejuízo.

Segundo a polícia, nesta quarta (21), um dos suspeitos estava utilizado o computador e notebook, para ‘hackear’ contas de vítimas, de modo a extrair dados pessoais. O nome do suspeito não foi identificado, entretando foi encaminhado para a Central de Custódia de Imperatriz.

A prisão esta fazendo parte do desdobramento da segunda fase da “Operação Ostentação”, que ocorreu em Imperatriz, durante o mês de dezembro de 2020. Desde a deflagração da operação, já foram cumpridos mandados de prisão nos Estados do Maranhão, Goiás e Tocantins.

Relembre o Caso

A Polícia Civil do Maranhão (PCMA), através da SEIC (Superintendência Estadual de Investigações Criminais) e o Centro de Inteligência da Polícia Civil (CIPC), na tarde da última quinta-feira (13) deu cumprimento ao mandado de prisão em desfavor de um homem. Ele é um dos líderes da quadrilha de Hackers na cidade de Imperatriz e considerado foragido da justiça.

De acordo com a polícia, o suspeito foi localizado em um condomínio no bairro do Calhau, em São Luís. Com ele foram encontrados a quantia de R$ 15.000,00, dois notebooks, vários chips, bolsas de grife, celulares, comprovantes de transferências bancárias e uma pequena quantidade de drogas.

Operação Ostentação

A prisão é um desdobramento da Operação Ostentação que vem investigando esta quadrilha que causou prejuízo de quase R$13.000.000,00 ao banco virtual Nubank o fato que ocorreu nas cidades de São Luís, São José de Ribamar, Paço Do Lumiar, Imperatriz, Coroatá, Carolina, Açailândia, São João do Paraíso, Governador Nunes Freire e nos Estados do Goiás e Tocantins em dezembro de 2020.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias