PARLAMENTAR

Em novo vídeo, Edilázio Junior explica polêmica sobre construção de cais

Deputado federal divulgou um pronunciamento tentando justificar polêmica sobre cais na Península

A novela da possível construção de um cais na área da Penísula da praia da Ponta d´Areia ganhou mais um capítulo. Depois de emitir uma nota à imprensa na última sexta-feira (12), após um vídeo dele sobre o seu posicionamento à obra que causou polêmica nas redes sociais, o deputado federal Edilazio Júnior (PSD) gravou um pronunciamento no qual explica a sua versão sobre o fato.

O deputado quis dar uma satisfação à população maranhense, principalmente de São Luís e da Baixada Maranhense. No vídeo que está circulando desde terça-feira, Edilazio Júnior disse que está sendo atacado da forma mais covarde e que os ataques que ele está sofrendo, é por ser um deputado de oposição ao governo do estado comandado por Flávio Dino. “Se acham que com isso, com um vídeo cortado que não apresenta minha fala toda vão me intimidar, se deram mal, porque isso não vai me abalar e nem me calar”, disse Edilázio Junior.

Segundo Edilázio Junior. ele foi convidado na última quinta-feira pela Associação dos Moradores da Penísula da Ponta d´Areia para participar de uma reunião com a Agência de Mobilidade Urbana do Estado do Maranhão, que iria apresentar um projeto hidroviário para o bairro. “Eu fui como representante do povo. Eu fui ouvir. Eu não sou morador da península e nem tenho parentes que moram na península…ouvi atentamente os técnicos, ouvi ali também os moradores e emiti a minha opinião”, disse Edilázio Junior.

O deputado federal, ressaltou que o vídeo cortado não mostra a sua fala por completo e que deu duas opções que ao seu ver que seriam melhor para a implantação do cais. Edilázio Junior também enfatizou que é favorável à implantação do terminal, que segundo ele, vai trazer mais conforto aos passageiros que vão em direção à Baixada Maranhense.

“A minha primeira sugestão é que fosse feito lá no Portinho, lá na Praia Grande ao lado do terminal da integração. É muito mais fácil para que utiliza o transporte público. Para quem mora na área Itaqui-Bacanga, por exemplo, pega apenas um transporte para chegar ao terminal da integração. Para ir para a península da Ponta d´Areia são três conduções até chegar à península”, justificou Edilázio Junior.     

A segunda opção dada pelo parlamentar federal, é que o cais fosse construído em uma área da Avenida Ferreira Gullar, no bairro da Ilhinha. que localizado na divisa da Penísula da Ponta d´Areia. Edilázio Junior, explicou que a Avenida Ferreira Gullar é uma avenida nova, que tem  baixo fluxo de veículo e que atenderia tranquilamente as quatro mil pessoas, como foi dito na reunião, neste primeiro momento. Dizendo que não sabe se amanhã o fluxo pode aumentar para cinco, seis, sete, oito ou dez mil com o passar dos anos.

Edilázio Júnior fez a pergunta para si mesmo:

“E porque Edilázio tu não queres ou tu és contra que seja feito na Península?”

Dando em seguida a seguinte resposta: “Porque lá é um bairro residencial e só tem uma avenida, e que não tem condição, infraestrutura para conseguir comportar uma obra e um empreendimento como esse. Para quem não sabe do lado esquerdo da Península é mangue. Então é uma área de proteção permanente que não pode ser construído nada. Do lado direito é o mar. Então não existe alternativa, tanto para os moradores como também para os passageiros que vão chegar ali, para ir vir.  [Eles] vão ter mais dificuldade  do que se fosse feito em outro local”, disse o deputado justificando que o seu posicionamento com relação à construção do caís, enfatizando que não tem nada haver com discriminação social.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias