SERÁ?

Waldir Maranhão protocola pedido de filiação ao PT

Maranhão até foi à sede do partido em São Luís para protocolar seu pedido de filiação. O problema é que a manifestação do deputado ainda requer aprovação da militância petista

Foto: Reprodução

Após muitas especulações sobre o futuro do deputado federal Waldir Maranhão (Avante) visando às eleições de 2018, o parlamentar decidiu que sua nova casa será o PT. Maranhão até foi à sede do partido em São Luís para protocolar seu pedido de filiação. O problema é que a manifestação do deputado ainda requer aprovação da militância petista. E é exatamente esse o ponto de interrogação nessa história. Waldir Maranhão não parece ter a simpatia da maioria para entrar na legenda. O PT deverá se posicionar nos próximos dias sobre a situação do deputado, que sonha, inclusive, em concorrer ao Senado.

Ontem, uma reunião estava agendada para os petistas discutirem se permitem ou não a entrada de Waldir Maranhão na legenda. O presidente do PT em São Luís, vereador Honorato Fernandes, decidiu adiar o encontro para a semana que vem pela complexidade do assunto.

O próprio Honorato foi quem recebeu das mãos de Waldir Maranhão o pedido de filiação do deputado. E não demorou muito para que o vereador fosse às redes sociais se manifestar contrário a essa ideia. Segundo apurou a reportagem de O Imparcial, a postura de Honorato Fernandes é semelhante à de muitos petistas, que não confiam que Waldir Maranhão possa fortalecer a legenda.

“Minha posição enquanto dirigente partidário, membro da Articulação (PT/CNB) e presidente é contrária à filiação do deputado conforme dito ao próprio de forma clara, tendo em vista, evidente conflito com os projetos políticos eleitorais em andamento no Maranhão”, disse Honorato.

Ao defender sua filiação, Maranhão disse “não querer ser apenas filiado, mas sobretudo um militante do partido para travar os enfrentamentos que a conjuntura nacional e local impõem”. A seu favor, o deputado cita o episódio do impeachment da presidente Dilma Rousseff. “Posicionei-me em rede nacional contra o impeachment da presidente Dilma, convencido do papel que deveria cumprir. Segui até o limite institucional, buscando enfrentar e frear o golpe em curso”.
O deputado afirma, ainda, que suas ações foram conduzidas “por nosso presidente Luiz Inácio Lula da Silva, companheiros do PT, parlamentares, ministros e dirigentes, camaradas do PC do B, nosso governador Flávio Dino e dos partidos aliados”.

Rejeição

A rejeição em torno do nome de Waldir Maranhão no PT parece ser tão significativa que militantes petistas lançaram um manifesto on-line contra o pedido de filiação do deputado federal. Foi a forma encontrada pelos petistas de pressionarem o Diretório Municipal e Estadual em impedir que Maranhão entre na legenda.

Situação delicada

O PT ainda trabalha com a resolução de pleitear um lugar na chapa majoritária do governador Flávio Dino (PCdoB), mesmo que o cenário não seja tão favorável no momento. Dentro do partido, inclusive, há quem defenda uma candidatura própria ao governo, encabeçada por Raimundo Monteiro.

Uma possível chegada de Waldir Maranhão tem tudo para conturbar ainda mais o PT maranhense, já que o deputado quer concorrer ao Senado a qualquer custo e, por isso, a tentativa de filiação na legenda. Nos bastidores, Maranhão acredita que estando no PT e conseguindo, principalmente, o apoio do Diretório Nacional, é bem possível que ele consiga o tão desejado apoio do governador Flávio Dino nas eleições de outubro.

Até o momento, o governador apenas confirmou apoio ao deputado federal Weverton Rocha (PDT) para a disputa ao Senado. Quem está na disputa para ser o segundo nome à Câmara Alta na chapa de Dino é a deputada federal Eliziane Gama (PPS).

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS