REFORÇO

Forças políticas do PSDB anunciam filiação ao Democratas

O reforço do DEM era algo aguardado, principalmente depois que o partido firmou aliança com o PCdoB do governador Flávio Dino em troca de poder indicar um nome na chapa majoritária de Dino nas eleições de outubro

Deputados Juscelino e Neto Evangelista. (Foto: Reprodução)

Semana de chegadas importantes ao DEM. Pensando no fortalecimento da legenda no cenário estadual, o DEM confirmou a chegada de algumas lideranças políticas, vindas do PSDB. O presidente do partido no Maranhão, deputado federal Juscelino Filho, garantiu que a legenda receberá pelo menos quatro ex-tucanos: trata-se do secretário de Estado do Desenvolvimento Social, Neto Evangelista, e dos prefeitos Luís Fernando (São José de Ribamar), Vianey Bringel (Santa Inês) e Magrado Barros (Viana).

O reforço do DEM era algo aguardado, principalmente depois que o partido firmou aliança com o PCdoB do governador Flávio Dino em troca de poder indicar um nome na chapa majoritária de Dino nas eleições de outubro. A chegada de nomes importantes como o de Neto Evangelista e Luís Fernando sinalizam que a intenção de Juscelino Filho é realmente ficar ao lado de Dino em 2018 e mostrar à direção nacional que continua voz ativa na política do Maranhão.

“Eles representam muito, são dois grandes quadros da política maranhense, ambos dissidentes do PSDB. Já havia convidado os dois desde o ano passado. O Neto Evangelista, um jovem de 28 anos, mas já com dois mandatos de deputado estadual e atualmente secretário de Estado de uma das mais importantes pastas, que é a de Desenvolvimento Social. O Luís Fernando é um grande gestor, que já foi do DEM, então está retornando ao partido, hoje prefeito pela terceira vez de uma das maiores cidades do estado, que é São José de Ribamar”, destacou Juscelino Filho.

A vinda de políticos que estavam no PSDB foi calculada pelo DEM. Com a troca de comando no ninho tucano – saiu o vice-governador Carlos Brandão e assumiu o senador Roberto Rocha –, era aguardada uma debandada de lideranças do PSDB. Muitas delas deverão seguir Brandão, que já foi oficializado pelo PRB. Outras deverão procurar novos rumos.

“Além deles [Neto Evangelista e Luís Fernando], virão também outros dois prefeitos aliados meus de cidades importantes do nosso estado: Vianey Bringel, prefeita de Santa Inês, e Magrado Barros, de Viana, ambos também dissidentes do PSDB. Ano passado, após a troca de comando no PSDB, fizemos convites a vários prefeitos, deputados, lideranças para ingressarem no DEM, e é justamente isso que está acontecendo agora”, explicou o presidente estadual do DEM a O Imparcial.

Vale lembrar que recentemente o DEM já havia acertado a chegada de outro secretário do governo Flávio Dino. O secretário de Educação, Felipe Camarão, aceitou o convite de Juscelino Filho e mudou de legenda. Chegou-se a especular que o nome de Camarão seria o indicado pelo DEM para ser vice na chapa de Flávio Dino, mas os rumores não se concretizaram.

Indefinição

Do anúncio da aliança com o PCdoB até hoje, o cenário político mudou bastante e isso tem influências diretas no DEM. A maior dificuldade agora para os Democratas será justamente o que poderia ser solução para o projeto da legenda, que planeja compor a chapa majoritária do governador Flávio Dino. Prestes a se filiar ao partido, o deputado José Reinaldo não esconde sua vontade de concorrer ao Senado. A sua vinda poderia resolver o desejo do DEM, que poderia utilizar o ex-governador como indicação à chapa de Dino. O problema é que José Reinaldo “rompeu” com o Palácio dos Leões, uma vez que acredita ter sido preterido na corrida para o Senado e isso, pode atrapalhar os planos do DEM.

O rompimento ganhou destaque na última semana. Flávio Dino lamentou a decisão de José Reinaldo, mas não demonstrou muita força para manter o ex-governador ao seu lado. Mas como o DEM poderá ficar ao lado de Dino se o seu próximo filiado faz questão de e candidatar ao Senado? O impasse está criado.

Questionado sobre o assunto, o presidente estadual do DEM mostrou-se preocupado com a chegada de José Reinaldo e não confirmou nem mesmo a filiação do ex-governador no partido, que estava marcada, segundo o próprio José Reinaldo, para o próximo sábado, 10. Juscelino Filho preferiu deixar o mistério sobre o futuro do DEM no ar. “Naturalmente que interfere sim [sobre o rompimento de José Reinaldo com o governador Fávio Dino]. Essa semana teremos nossa convenção nacional e vamos ver como vai ficar após isso”, concluiu.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS