ARMAS & DINHEIRO

Poderoso chefão do assalto de Bacabal está escondido no Paraguai

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão confirmou que ‘Zezé Di Lessa’, chefão da quadrilha que tomou Bacabal de assalto para roubar algo em torno de R$ 100 milhões está escondido no país sul-americano

Jornal paraguaio divulgou uma foto alegando ser Zeze Di Lessa (Foto: Reprodução/DiarioExtraPY)

A Secretaria de Segurança Pública do estado do Maranhão confirmou que o chefão da quadrilha que tomou Bacabal de assalto na madrugada do dia 25, deixando um rastro de destruição e pânico na cidade ao metralhar a delegacia regional e o quartel da PM, incendiar sete veículos e explodir uma agência do Banco do Brasil, para roubar algo em torno de R$ 100 milhões, está escondido no Paraguai. Seu nome é José Francisco Lumes.

Nascido na Bahia e conhecido como ‘Zeze Di Lessa’, o mentor do assalto milionário é irmão de Adeilson Lumes, que liderou o bando em Bacabal. Adeilson morreu na madrugada do dia 3, em confronto com as forças de segurança do Estado do Maranhão, quando os policiais cercaram um caminhão com 45 milhões do roubo na cidade de Santa Luzia do Paruá. No tiroteio outros dois ladrões morreram, e dez foram presos.

Veja Também

“Desde o dia 25 vínhamos mantendo um cerco intenso no entorno das cidades próximas ao local do assalto. Foi um cerco permanente, sem interrupção, tínhamos a suspeita de que poderiam estar escondidos em fazendas da região. A operação é um sucesso total. Três (assaltantes) tombaram no confronto em Santa Luzia do Paruá. Outros dez se renderam e estão presos em Pedrinhas”, disse o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jéfferson Portela, que é delegado da Polícia Civil.

A Polícia do Maranhão informou que Adeilson estava em um carro blindado que acompanhava o caminhão transportando dinheiro. Em meio ao tiroteio ele saltou do veículo e foi atingido com um tiro fatal. Os novos cangaceiros portavam um surpreendente arsenal bélico, com artilharia anti-aérea.

Foi confirmado que os ladrões são de vários Estados, como São Paulo, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Sergipe.

O Banco do Brasil, afirmou Jefferson Portella, ainda não informou a polícia o exato valor que a quadrilha levou no assalto do dia 25. “Cem milhões de reais é um valor divulgado pela imprensa. O banco ainda não passou oficialmente. O fato é que o caminhão apreendido estava completamente lotado de sacos de dinheiro”.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS