Prevenção

Boletim da SES divulga 1.100 casos de dengue registrados no MA

Dados revelam, ainda, que casos de chikungunya e zika vírus foram confirmados 98 e 52 respectivamente.

Para combater a infestação do mosquito da dengue, o cidadão também pode eliminar os focos ao adotar as estratégias de combate ao inseto. (Foto: Reprodução)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) do Maranhão divulgou dados que indicam que o Maranhão já registrou mais de 1.100 casos de dengue em todo o território.

Ainda segundo o boletim da SES, os casos de chikungunya e zika vírus foram confirmados 98 e 52 respectivamente, e nenhuma morte foi confirmada ainda este ano.

O Maranhão teve 1.721 casos de dengue, 100 de chikungunya e 85 de zika vírus em relação a 2020. O estado registrou, ainda, cinco mortes por dentro e duas por chikungunya.

Entre os 1.100 casos de dengue confirmados no Maranhão, 104 foram registrados, até agora, na capital São Luís. No que diz respeito à chikungunya, já foram 15, e mais 20 casos de zika vírus contabilizados na Ilha. Sobre o número de mortes, a capital maranhense também não registrou nenhum caso sobre a doença causada pelo mosquito Aedes Aegypti.

Em comparação a 2020, foram 738 casos notificados de dengue, 49 de chikungunya e 64 de zika, com três mortes de dengue confirmadas e uma por chikungunya em São Luís.

Dicas

Para evitar o contágio da dengue, é necessário combater o mosquito transmissor. Veja algumas recomendações abaixo.

  • Manter limpos os recipientes/locais de armazenamento de água;
  • Acionar a Secretaria Municipal de Saúde ou outro ente público quando forem identificados focos do mosquito Aedes Aegypti de difícil eliminação pelos moradores ou pela população;
  • Manter bem tampados tonéis, caixas e barris de água;
  • Encher pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana;
  • Manter garrafas de vidro e latinhas de boca virada para baixo;
  • Guardar pneus em locais cobertos, protegidos de chuva;
  • Fazer sempre manutenção de piscinas;
  • Encher com massa de cimento os cacos de vidro de muros;
  • Manter as calhas limpas para evitar coleção de água;
  • Lavar os tanques, caixas d’água, tonéis, jarros de planta (áreas internas e externas) com escova para retirada dos ovos do mosquito que permanecem viáveis por mais de 01 ano, aderidos às superfícies;
  • Dar destino ao lixo, não acumulando resíduos e recipientes (qualquer “coisa” que possa acumular água) nas áreas ao redor da residência;
  • As Empresas de Construção Civil devem assegurar que as áreas de construção estejam livres de focos do mosquito-vetor;
  • As Imobiliárias devem manter os imóveis sob sua responsabilidade limpos e assegurar a entrada dos Agentes de Controle Endemias de combate á Dengue dos municípios nos prédios para vistoria e tratamento de focos.
VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias