CORONAVÍRUS

No Maranhão

1382
222481
206696
5201
VACINAÇÃO NA ILHA

“Sem aglomeração e sem irregularidades”, diz secretário

Em entrevista a O Imparcial, Joel Nunes, secretario municipal de saúde informou que até o momento não recebeu nenhuma denúncia formal de fraude ou de pessoas furando a fila de prioridade

Foto: Reprodução

O Centro Municipal de Vacinação contra a Covid-19, localizado no Multicenter Sebrae até a última quinta-feira (21), o registrou 2.437 pessoas vacinadas. Em entrevista a O Imparcial, o secretario municipal de Saúde, Joel Nunes, revelou a importância da iniciativa que está sendo fundamental para o enfrentamento da doença na capital maranhense.

Joel Nunes fez questão de ressaltar que Esse era o momento mais esperado pela população, não só de São Luís, como do mundo inteiro, desde que a OMS decretou a pandemia do novo coronavírus. “Para se ter uma ideia, o prefeito Eduardo Braide mobilizou a equipe da Secretaria Municipal de Saúde ainda no início do processo de transição da Prefeitura, para que tivéssemos em tempo hábil um plano de vacinação compatível com a realidade de nossa população, seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde. Esse planejamento nos permitiu iniciar a aplicação imediatamente após a disponibilização das primeiras doses, porque nos preparamos para acondicionar os imunizantes que estamos recebendo e adquirir os insumos de agulhas e seringas necessários para atender todo o público-alvo da primeira fase”, disse o secretário. Ele acrescentou que o intuito é tornar São Luís uma referência no cumprimento da imunização de maior parte da população em menor tempo possível e que para isso a Semus está trabalhando, em diálogo constante com o Governo Federal e seu corpo técnico para orientar a população quanto à administração das doses.

Segundo o secretário municipal de Saúde, o Centro Municipal de Vacinação tem a capacidade de vacinar até 200 pessoas por hora e atender até 2.000 pessoas por dia. “É importante ressaltar que contamos com um local amplo com área de triagem, registro, salas de vacinação atendendo de forma simultânea e um espaço de pós-vacinação, para que o cidadão possa ficar em observação após a aplicação da dose, caso surja algum efeito adverso”, explicou Joel Nunes.  No local há equipes médicas de plantão com ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de prontidão para prestar atendimento, se preciso. E todo o espaço foi montado para que o cidadão se sinta acolhido, esteja confortável e receba atendimento humanizado.

Questionado por O Imparcial se está havendo aglomeração no local, Joel Nunes, esclareceu que não. E afirmou: “Optamos justamente montar um esquema que evitasse aglomerações. O Multicenter Sebrae foi escolhido por conter uma área de 8,7 mil metros quadrados, o que nos permite dividir cada setor de triagem, registro, vacinação e pós-vacinação em espaços diferentes e respeitando o distanciamento mínimo recomendado entre as pessoas. O que quero aqui reforçar, em forma de apelo aos profissionais que estão se encaminhando ao Centro Municipal de Vacinação, é que não há necessidade de chegar tão cedo ao local. O atendimento vai de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Para evitar filas, estamos abrindo os portões com 15 minutos de antecedência para que as pessoas já iniciem o processo de triagem antes mesmo de iniciarmos o horário da vacinação. Estamos buscando aperfeiçoar  todos os dias esse atendimento para que ele seja realizado de maneira mais ágil e mais eficaz. Inclusive, se for observado que estamos com uma grande demanda e concentração de pessoas, não descartamos a possibilidade de estender o horário de atendimento também para os fins de semana”, explicou o secretário.

Joel Nunes ressaltou também que as primeiras doses foram aplicadas em profissionais que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus, em setores de urgência, emergência, Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e setores Covid em hospitais de rede pública e privada da capital.  Sobre as denúncias que profissionais da área da saúde estão furando a fila ele explicou: “Todas as denúncias que a Secretaria Municipal de Saúde receber serão encaminhadas ao Ministério Público do Maranhão para as devidas sanções. Estamos em constante diálogo com o órgão e sempre seguindo as suas orientações para evitar que casos de irregularidades aconteçam”, enfatizou o secretário.

Ele também assegurou quer até o momento, a Secretaria Municipal de Saúde não recebeu nenhuma denúncia formal de fraude ou de pessoas furando a fila de prioridade. E que o monitoramento é feito a cada etapa do fluxo de atendimento que foi montado no Centro Municipal de Vacinação, pois a orientação é que a pessoa só chegue até a sala de vacinação caso apresente fisicamente todos os documentos que estão sendo solicitados para receber o imunizante e caso esses documentos atestem que a mesma faz parte, de fato, do grupo que deve ser atendido nesta primeira etapa.

Joel Nunes, afirmou que a centralização do serviço foi importante para facilitar o processo de logística e de controle da quantidade de doses que recebemos nesse primeiro momento. “Como montamos uma estratégia de funcionamento em um espaço amplo, com um fluxo que consegue atender uma boa demanda de pessoas por dia, por hora, está sendo absolutamente possível manter a vacinação em um só local. Mas isso não elimina a possibilidade de, a partir do momento em que recebamos mais doses, em uma boa quantidade, reavaliarmos a distribuição e, assim, adotarmos a estratégia de descentralização”, disse o secretário.

1 – Como é feita a triagem de prioridade?

Resposta: Os profissionais que estão atendendo no Centro Municipal de Vacinação receberam treinamento para verificar a documentação que está sendo solicitada para administração da vacina, de modo que, caso a pessoa não cumpra com os requisitos desta primeira fase, ela já é orientada a retornar no momento correto que será destinado ao público ao qual ela faz parte. Nos primeiros dias, registramos algumas pessoas idosas comparecendo para pegar informações, mas elas foram prontamente orientadas pela recepção de triagem de que neste momento somente os profissionais de saúde estão recebendo a vacina.

2 – Para ter acesso a vacina contra a Covid-19, os profissionais precisam passar por uma triagem inicial. Por isso, devem apresentar um documento com foto, de preferência a carteira do conselho onde estão lotados e uma declaração do lotação ou atividade de onde trabalham, informando sua atuação na linha de frente contra a doença. Já houve algum registro de problemas na identificação dos mesmos? Se sim qual foi o procedimento adotado nesse caso?

Resposta: Já sim. Houve alguns profissionais que trouxeram apenas a carteira do conselho, mas não trouxeram a declaração da unidade de saúde onde estão lotados. Houve também registro de pessoas que levaram apenas a declaração digitalizada, pelo celular, o que também não é permitido. Nesses casos, a pessoa já é orientada ainda na primeira etapa de triagem de que é importante ter em mãos os dois documentos, a carteira original de registro no conselho de classe para apresentação e a declaração impressa, porque esta precisa ficar retida no ato de registro da vacinação.

3 – Qual a previsão que toda a população esteja vacinada? Existe um calendário específico para que isso ocorra?

Infelizmente ainda não é possível dizer quando toda a população de São Luís será imunizada, porque estamos seguindo as diretrizes do Plano Nacional de Imunização e, como é possível acompanhar pelos canais oficiais do Ministério da Saúde, este plano está constantemente sendo revisto e readaptado à medida em que a Anvisa vai aprovando o uso emergencial de mais lotes de vacinas e seja atestado que elas estão aptas para o uso. Dessa maneira, é possível que façamos alterações também em nosso plano inicial, alterando as fases de vacinação de acordo com as orientações que forem determinadas pelos órgãos superiores. Contudo, estamos trabalhando para que de maneira mais rápida possível possamos cumprir as três fases já estabelecidas no plano editado no dia 15 de janeiro, atingindo assim um contingente populacional de aproximadamente 150 mil habitantes.

4 – Qual a orientação que o senhor dá para as pessoas que estão na expectativa de vacinar e ainda não foram e para aquelas que estão com resistência em receber o medicamento?

A Prefeitura de São Luís não irá medir esforços para garantir que todos aqueles que devem ser vacinados neste primeiro momento recebam, de fato, a primeira dose da vacina. A prioridade dos profissionais de saúde foi adotada para garantir o funcionamento correto dos serviços de assistência em saúde da nossa cidade, assim como, a vacinação dos idosos em instituições de longa permanência, por conta da vulnerabilidade em que elas se encontram. A população pode ficar tranquila que à medida que mais doses da vacina forem chegando, vamos ampliando os grupos que deverão ser vacinados.

5 – Existe uma campanha de informação para esclarecer a população para saber o dia que elas devem se vacinar?

Nós estamos fazendo o possível para prestar informações claras e objetivas a toda a população sobre quem deve se vacinar nesse primeiro momento através de diversos canais de mídia. Estamos abertos a todas as perguntas e às dúvidas através dos canais oficiais da Prefeitura de São Luís e aqui no Centro Municipal de Vacinação as pessoas podem vir adquirir mais informações.

6 – O enfrentamento à covid-19 é uma das prioridades da Secretaria Municipal de Saúde, mas existem outras demanda que também são tão importantes quanto. Quais as outras prioridades que a Semus tem trabalhado para melhorar o atendimento de saúde à população da ilha?

A nossa primeira ação para além da prioridade com que exige ser tratada a pandemia, está sendo “arrumar a casa”. Organizar o pessoal, os fluxos de funcionamento administrativo da secretaria e de todas as unidades ligadas a ela. Sanar os contratos atrasados, que vão de insumos a prestadores de serviço. É preciso também equilibrar as discrepâncias salariais e os contratos com vínculos precários. Com essas medidas, já podemos oferecer melhoras consideráveis aos serviços de média alta complexidade do nosso município. Paralelamente a isso, nosso planejamento prevê um aumento no investimento da atenção básica, já que hoje temos apenas 33% de cobertura. Com isso, valorizaremos os nossos servidores e os usuários do SUS.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias