MERCADO DE TRABALHO

Qual o futuro do recursos humanos com a chegada das novas tecnologias?

Em entrevista exclusiva, Paula Solomão, Líder Global da Accenture fala sobre com a transformação digital está revolucionando o mercado de trabalho e exigindo uma nova postura dos profissionais

Reprodução

Um recente estudo global da Deloitte sobre as tendências no mercado de trabalho mostrou que 43% dos Millennials preveem deixar o próprio emprego em até 2 anos (e apenas 28% pretende ficar mais de 5 anos no mesmo emprego). Para a Geração Z (nascidos a partir do fim dos anos 90), o número é ainda mais alto: 61% preveem deixar o emprego nesse prazo.

Este é cenário muito característico da transformação digital onde o perfil dos trabalhadores buscados pelas companhias, as habilidades que eles precisam desenvolver para serem valorizados pelo mercado e, consequentemente, a maneira desses profissionais construírem suas carreiras também vem mudando.

Nos próximos dias 21 e 22 de novembro acontece em São Luís o XI COMARH – Congresso Maranhense de Recursos Humanos com o tema Convergindo Pessoas e Negócios no Mundo Digital que contará com a presença de líderes globais e nacionais para conversar sobre novas tecnologia e como ela impacta na área de gestão de pessoas e recursos humanos.

Conversamos com exclusividade com Paula Solomão, Lider Global da Accenture sobre como convergir pessoas e negócios no mundo digital.

Jornal O Imparcial: O mundo está mais complexo e ambíguo com a transformação digital. Qual o desafio das organizações neste cenário?

Paula: Realmente, a era digital, por ser uma era incrivelmente disruptiva, trouxe desafios de vários lados, o que criou essa percepção correta de complexidade e ambiguidade.

Gosto de dividir esses desafios em três grandes blocos. As organizações estão lidando com consumidores com expectativas mais altas do que nunca, porque elas são criadas a partir de experiências incríveis e inovadoras.

Também estão lidando com concorrentes que desafiam sua posição no mercado, não só oferecendo produtos e serviços semelhantes aos seus mas, muitas vezes, com disrupções completas do mercado ou da indústria.

E, por ultimo, as organizações lidam com uma força de trabalho que também traz desafios novos pois ela é multi-gerações, multi-culturas, multi-interesses. Essa força de trabalho mistura suas expectativas enquanto consumidora com suas expectativas como colaboradora, exigindo das organizações um novo patamar de experiência interna.

Jornal O Imparcial: Qual deve ser a postura dos profissionais de gestão neste novo cenário?

Paula: Acredito que os profissionais de gestão, dentro de um mindset de agilidade, precisam desenvolver dois elementos principais.

Eles tem que ter uma obsessão por seus clientes, ou seja, conhecê-los muito bem, entender sua realidade, suas necessidades e suas dores para poder se antecipar em relação a suas necessidades e oferecer soluções realmente encantadoras. Quando estou falando de soluções, estou de falando de produtos, de serviços, de modelos de atendimento, de toda uma experiência mais completa em relação aquela empresa ou marca.

Ele também tem que ter uma obsessão por criar valor e por melhorar constantemente. Em tudo o que fazemos, temos que pensar se estamos criando valor para nossos clientes, internos ou externos, e para nossos stakeholders em geral. Além de pensar constantemente se poderíamos fazer de outra forma, mais simples, mais barata, mais encantadora… A partir daí, os profissionais de gestão precisam organizar como colocar essas ideias em prática, testando as novas formas de fazer ou os novos produtos e serviços de forma rápida, podendo aprender ao longo do processo.

Jornal O Imparcial: Como a transformação digital vem impactando o seu trabalho na Accenture?

Paula: Na Accenture, vivo a transformação digital em dois aspectos. Por um lado, vivo a própria transformação da Accenture, que nos últimos anos, mergulhou em novos negócios baseados nas tecnologias digitais. Tínhamos uma enorme tradição de serviços nas áreas de estratégia de negócios, consultoria organizacional e tecnologia da informação. Com a transformação digital, hoje atuamos também no desenvolvimento de tecnologias digitais, na automação de processos de negócios de clientes que operamos, na área de segurança cibernética, além de sermos a maior agência de marketing digital do mundo.

Além disso, apoiamos a transformação digital de nossos clientes, onde pessoalmente apoio organizações em sua jornada de transformação cultural, desenvolvendo novos mindsets e novas formas de trabalho.

Acredito que todos nós que estamos inseridos nesta era de enormes transformações organizacionais estamos tendo uma incrível oportunidade de participar e construir novas formas de trabalhar, de se relacionar, produzir, consumir, de viver. Convido a todos os profissionais de gestão e especialmente aos profissionais de RH a embarcarem dessa jornada de peito aberto, com muita curiosidade, muita vontade, muita liberdade para arriscar, aprender e fazer a diferença.

As inscrições para o evento podem ser feitas pelo site da ABRH-MA ou escaneando o QR CODE abaixo:

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias