RISCO

Oito dias depois, barragem rompida em Pinheiro segue sem reparo ideal

Dias após o rompimento na barragem do Rio Pericumã, a comporta continua sendo sustentada por uma medida paliativa. O vice-governador se reunirá amanhã (20) com o Ministério do Desenvolvimento Regional para propor a reforma definitiva

Barragem do Rio Pericumã. Foto: Divulgação

Tem previsão para amanhã (20) uma reunião em Brasília do vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão (PRB), o senador Weverton (PDT), alguns deputados federais com o Ministério do Desenvolvimento Regional para solicitar recursos para as reformas das barragens do Rio Pericumã, em Pinheiro, e do Rio das Flores, em Joselândia, ambas correndo risco de rompimento. Até agora, a comporta do Pericumã, que teve um dos cabos rompidos no último dia 11, alagando bairros e desabrigando famílias no município maranhense, não teve o reparo ideal e definitivo.

A informação vem da Prefeitura de Pinheiro, que, diante do alagamento, teve que lidar com a situação de uma forma paliativa, comprando cabos para abrir a primeira comporta e fazer esvaziar a água que continuava a inundar os bairros. A responsabilidade sobre a obra é do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), cujo engenheiro mecânico Roberto César fez uma visita ao local na última sexta-feira (15) e concluiu que a medida da Prefeitura, apesar de não ter caráter definitivo, garantiria a abertura da comporta provisoriamente.

Veja Também

Segundo a assessoria da Prefeitura de Pinheiro, a medida tomada “é suficiente por ora. Os cabos não são os ideais, mas o engenheiro afirmou que seguraria. Os cabos ideais não estão disponíveis no Maranhão nem no Pará. Compramos tudo o que encontramos do mais aproximado”.

Em nota, o Diretor-Geral do DNOCS relata que após a vistoria feita pelo engenheiro, foi constatada a necessidade de aquisição de um novo cabo, que seria providenciado na última segunda-feira (18) e que, somente depois de sua instalação, o sistema de controle de cheias estaria seguro até a realização das obras de recuperação definitivas. Entretanto, a prefeitura informa que este cabo ainda não foi instalado e que a segunda comporta permanece fechada desde o rompimento.

O DNOCS ainda informou o projeto de reforma e modernização do barramento já está concluído, mas lhe faltam recursos para executá-lo. “Os recursos financeiros necessários para a efetivação das obras correspondentes serão solicitados ao Ministério do Desenvolvimento Regional”, menciona a nota do Departamento, referindo-se à reunião em Brasília.

Barragem do Rio das Flores, em Joselândia

No dia 23 deste mês, a Câmara Municipal de Pedreiras irá reunir prefeitos e representantes de diversas entidades para alertar sobre uma possível ameaça de rompimento da barragem do Rio das Flores, também de responsabilidade do DNOCS.

“Torna-se necessário empunharmos essa bandeira imediatamente, porque a falta de manutenção da barragem é preocupante, ocorrendo o risco de uma verdadeira catástrofe naquela região, caso ela venha a se romper”, relata o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Erlânio Xavier.

O rompimento da Barragem das Flores poderia causar alagamento nas cidades de Anajatuba, Arari, Bacabal, Bernardo do Mearim, Conceição de Lago-Açu, Dom Pedro, Igarapé Grande, Joselândia, Lago Verde, Lima Campos, Pedreiras, Poção de Pedras, Santo Antonio dos Lopes, São Luis Gonzaga do Maranhão, Trizidela do Vale, Tuntum e Vitória do Mearim.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS