ATROPELAMENTO

Enfermeira foi inocentada em investigação? Checamos

Foi divulgado, em alguns veículos, que a investigação da enfermeira acusada de atropelar os cachorros havia a apontado como inocente. Checamos a informação

Captura do vídeo que flagra a enfermeira atropelando cachorros.

Ontem à noite (23), foi publicado em alguns veículos de informação que as investigações feitas pela Delegacia do Meio Ambiente acerca do caso da enfermeira Giselle Atan, acusada de atropelar dois cachorros, haviam a apontado como inocente. Também foi dito que nove testemunhas foram ouvidas, confirmando que a enfermeira estava apenas tentando evitar o ataque dos pastores alemães a outro cachorro.

O redação do jornal O Imparcial entrou em contato com a delegada que está acompanhando o caso, Caroliny Fernanda, para checar a veracidade da informação.

Veja Também

Caroliny contestou a informação compartilhada, afirmando que não é papel da polícia apontar a inocência de alguém, e sim do judiciário. Além disso, a delegada ressalta que Giselle foi considereada, sim, autora do fato; e que os nove depoimentos ouvidos incluíram o dela e o do dono do cão que morreu atropelado. O que determinará se a enfermeira é culpada ou não é o processo judicial por qual ela vai passar. “Ela vai participar de uma audiência preliminar, de um juizado especial criminal, na presença de um juíz e um promotor”, afirma Caroliny. A primeira audiência acontecerá em outubro.

O vídeo que flagra a enfermeira avançando o carro em baixa velocidade em direção aos cachorros Pepe e Dukesa, os atropelando e depois indo embora do local, repercutiu nas redes sociais e o caso teve visibilidade nacional. O caso provocou comoção e indignação nas redes sociais, fazendo Giselle perder o emprego.

Até a publicação dessa matéria, o advogado de Giselle não foi encontrado para comentar o caso.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS