INTERNET

Golpe no WhatsApp para consulta ao PIS afeta 116 mil pessoas em 24h

Muitas pessoas tiveram seus dados pessoais comprometidos, como lista de contatos do celular e, até mesmo, número de documentos

Um golpe que em menos de 24 horas atingiu 116 mil pessoas se espalhou no Whatsapp, de acordo com informações do site de segurança online, Dfndr Lab, Psafe.

Com isso, muitas pessoas tiveram seus dados pessoais comprometidos, como lista de contatos do celular e, até mesmo, número de documentos que estejam salvos em e-mail instalado no smartphone.

Os criminosos aproveitaram a notícia da liberação dos recursos do PIS/Pasep divulgada pelo governo federal nesta segunda-feira, 18 para aplicar o golpe.

Na mensagem  a informação é de que a Caixa Econômica Federal liberou para quem trabalhou entre os anos de 2005 e 2018, a quantia de  R$ 1.223,20. No entanto, a informação é falsa, informou o próprio banco.

Mensagem enviada pelo Whatsapp. Foto: Reprodução

A notícia falsa vem acompanhada de um link que leva o usuário do aplicativo de mensagens a um site que supostamente seria o do banco. Depois o usuário deve responde umas perguntas e é orientado a compartilhar o link com mais 30 pessoas para finalizar o processo e realizar o saque do valor.

Os criminosos usaram layout parecido com a caixa para enganar as pessoas. (Foto: Divulgação/DFNDR Lab)

Além das mensagens enviadas pelo Whatsapp, os criminosos têm uma base de números de telefones que já caíram em golpes anteriores, para enviar notificações diretamente para o celular.

Dicas para não cair em golpes

Para evitar cair nos recorrentes golpes do WhatsApp, é necessário olhar com cuidado para links que prometem ofertas imperdíveis, produtos ou serviços gratuitos que até mesmo os seus contatos compartilham em grupos ou privado, mas é muito provável que essa pessoa tenha sigo enganada, e assim o ciclo vai se repetindo com milhões e milhões de usuários.

Sempre fique atento ao formato da mensagem. Se a promoção conter erros de português, atenção. E, se além disso, ainda pedir para você compartilhar com outros contatos do seu Whatsapp.

Não inserir informações pessoais no cadastro desses falsos links. Alguns golpes têm a finalidade de usar o  número de telefone e até dados bancários sigilosos, que são transformadas em cobranças indesejadas e acesso à plataformas pessoais da vítima.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS