SAÚDE

Hospital da Mulher realiza 60 cirurgias ginecológicas em março

No mês de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, foram realizadas cerca de 90 cirurgias eletivas; mutirão, implantado, aumentou o número de atendimentos

Reprodução

Com investimentos em cirurgias ginecológicas no Hospital da Mulher, a Prefeitura de São Luís vem reduzindo a lista de espera. Só no mês de março, mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, foram realizadas cerca de 90 cirurgias eletivas. O aumento no número de cirurgias executadas na unidade de saúde é resultado do mutirão implementado pela gestão do prefeito Edivaldo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). O mutirão segue até o mês de junho e, até lá, a previsão da Prefeitura é realizar cerca de 600 procedimentos.

As cirurgias ocorrem aos fins de semana e neste sábado,7,e domingo,8, a previsão é de que sejam realizados mais 25 atendimentos. A ação inclui a realização de cirurgias como histerectomia, laqueadura, miomectomia, herniografia e colpoperíneoplastia. Iniciada em março, a ação já beneficiou 84 mulheres, para além dos procedimentos realizados semanalmente no hospital.

O titular da Semus, Lula Fylho, destaca os avanços obtidos e os resultados positivos já contabilizados com a ação. “A realização de cirurgias do mutirão obedece a um cronograma que diminui a fila de espera e está conseguindo ampliar o atendimento ao público feminino, conforme determinação do prefeito Edivaldo. Com esta ação, a gestão do prefeito atende às demandas das mulheres, beneficiando-as nas áreas de ginecologia e mastologia”, pontuou o secretário municipal de Saúde.

A diretora administrativa do Hospital da Mulher, Francisca Duarte, considera que, conhecendo a realidade da demanda local, essa é uma iniciativa que favorece as pacientes. “Essa ação reduz de forma considerável o tempo de espera dessas mulheres para a realização dos procedimentos. É mais um investimento da gestão do prefeito Edivaldo para fortalecer o papel importante desta unidade de saúde”, disse a gestora.

A equipe que trabalha na ação é composta por médicos anestesistas, cirurgiões e ginecologistas e conta, ainda, com equipe de apoio composta por nutricionistas, enfermeiros, terapeutas ocupacionais e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que atuam em regime de plantão 24 horas.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS