EXONERADO

Associação dos Delegados se manifesta sobre Bardal

Tiago Bardal foi dispensado do cargo de Superintendente de Investigações Criminais da Polícia Civil do Maranhão, com suspeita de envolvimento em graves delitos

Tiago Bardal. Foto: Reprodução

Foi exonerado na tarde desta quinta-feira, 22, o agora ex-Superintendente de Investigações Criminais da Polícia Civil do Maranhão, Tiago Bardal. A decisão foi comunicada em coletiva pela Secretaria de Segurança Pública do Estado após operação que prendeu militares e mercadorias contrabandeadas em casa no bairro do Quebra-Pote, Zona Rural de São Luís.

Tiago Bardal foi dispensado do cargo suspeito de envolvimento na prática. Ele foi encontrado nos arredores do local onde a operação seria realizada. Em seu carro, no entanto, não foi encontrado nenhum indício das ilegalidades.

Em nota publicada ainda na noite de ontem, a Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Maranhão (ADEPOL MA) disse que “lamentavelmente seu envolvimento [de Bardal] foi dado como certo em graves delitos que ainda estão sendo apurados”, e que acompanhará o desenrolar das investigações.

Leia a nota na íntegra:

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Maranhão – ADEPOL MA, com abono em manifestação do associado, vê-se impulsionada em esclarecer notícias tornadas públicas através de sites da internet e da mídia em geral, noticiando o suposto envolvimento do Dr. Tiago Mattos Bardal em atividade ilícita e submeter os informes divulgados unilateralmente nos meios de comunicação à análise individual com novos elementos fáticos.

O Dr. Tiago Mattos Bardal foi exonerado do cargo de direção da SEIC no dia de hoje em virtude de ter sido citado por policiais militares que afirmaram ter abordado o seu veículo duas horas antes da operação policial e cerca de 5 km do local onde as prisões e apreensões se deram. Todas as pessoas que foram conduzidas para a Delegacia de Polícia foram ouvidas e nenhuma delas citou o nome do Dr. Tiago Mattos Bardal, inclusive, quando questionados pela Autoridade que presidia o ato, declararam que não o conheciam, nunca o viram e nunca tiveram qualquer contato com o mesmo.

Na data de hoje, em nenhum momento o Dr. Tiago Mattos Bardal foi chamado pela cúpula da segurança pública nem pela SECCOR para dar a sua versão dos fatos, mesmo passando todo o dia trabalhando normalmente, cumprindo as suas funções laborais.

Lamentavelmente seu envolvimento foi dado como certo em graves delitos que ainda estão sendo apurados.

Por derradeiro, a Associação dos Delegados De Polícia Do Estado Do Maranhão informa que acompanhará o desenrolar das investigações que se iniciaram e acredita que ao final exsurja a verdade.

São Luís/MA, 22 de fevereiro de 2018

A DIRETORIA

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS