REHUF

HU-UFMA receberá mais de R$ 1,6 milhões em investimento

O recurso será empregado para compra de aparelhos e de uma nova estação de tratamento de água para a ala de hemodiálise

Reprodução

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA) receberá mais de R$ 1,6 milhões em recursos para a compra de insumos, como medicamentos e investir em novos equipamentos e reformas.

A decisão fica à critério do próprio hospital, que agora deve informar à Ebserh, por meio de planos de trabalho, o destino dos recursos.

Parte do recurso já tem destino certo no HU-UFMA. “Um milhão e seiscentos mil não é tanto, mas será bem empregado em algumas prioridades já definidas, como a compra de dois aparelhos de ecocardiograma, de um pasteurizador para o Banco de Leite, em uma nova estação de tratamento de água para a hemodiálise, além da aquisição de computadores e ar-condicionado, entre outros investimentos”, anuncia a superintendente do HU-UFMA, Joyce Lages.

O investimento foi aprovado na última sexta-feira, 5, pelo Comitê Gestor do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) que liberou um total de R$ 31 milhões para 48 unidades federais.

O Programa

Os recursos do Rehuf são oriundos dos ministérios da Educação (MEC) e da Saúde (MS). O programa destina-se à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, incluindo as não filiadas à Ebserh, estatal vinculada ao MEC, que administra 39 hospitais universitários federais. A descentralização obedece a critérios como o porte do hospital (número de leitos), o perfil assistencial (baixa, média ou alta complexidade), obras e reformas em andamento, entre outros.

O objetivo é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, assim como proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde. O programa também prevê iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico dos hospitais.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS