Alerta!

Pedestres se arriscam em travessia por avenidas movimentadas

Mesmo em locais que possuem sinalização, pedestres se arriscam a atravessar ruas e avenidas da capital, ignorando os perigos que essas atitudes podem trazer para a vida delas

Pedestres ignoram faixas, sinais de trânsito e se arriscam durante travessia. (Foto: Honório Moreira)

Quantas vezes você, que é pedestre, já não se arriscou no trânsito ao atravessar correndo uma avenida? Flagrantes como esses são fáceis de serem observados, mesmo com a presença de faixas de pedestres e sinalizações. Às vezes, na pressa, o pedestre prefere se arriscar. “Às vezes também o motorista não para na faixa, aí a gente perde muito tempo esperando a boa vontade deles”, afirma a vendedora Nádia Alencar. Nossa equipe flagrou alguns momentos arriscados, em vias da capital, como a da Avenida dos Portugueses, uma das mais movimentadas da cidade.

No Brasil, de acordo com o Mapa da Violência no Trânsito, morreram 11.406 pedestres, de um total de 46.051 atropelados, o que representou 24,76% de vítimas fatais em 2012. Em 2016, foram 1.684 mortes no trânsito no Maranhão. Em São Luís, a estatística do Sistema de Informações de Mortalidade (MS) apontou 245 (mais de 20 óbitos por mês). Neste ano, até o mês de novembro, já são 668 óbitos no Maranhão e 90 mortes em São Luís. A Organização Mundial de Saúde informa que a principal causa de morte, no mundo, de jovens de 15 a 29 anos é a violência no trânsito, ganhando da tuberculose, da Aids e da violência em geral. Um milhão e trezentas mil pessoas morrem anualmente no mundo vítimas de acidentes de trânsito e mais 50 milhões ficam com alguma sequela.

Neste mês, segundo estatística da Secretaria de Segurança Pública, até o dia 12, haviam sido contabilizadas duas mortes no trânsito por atropelamento. Uma delas foi a da idosa atropelada na Beira-Mar, caso que sensibilizou muita gente.
Maria de Fátima Araújo Sousa era moradora de Barreirinhas e, segundo informações, estava em São Luís para realizar procedimentos médicos. A senhora estava atravessando a via, quando foi surpreendida por um ônibus que faz a linha Calhau/Litorânea. A morte foi instantânea. Na ocasião, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informou que o ônibus não estava em alta velocidade, e que o motorista foi surpreendido, com o veículo em movimento, pela vítima, que tentava atravessar a via.

Incentivando a segurança no trânsito, a Campanha SOS Vida tem agido na raiz do trânsito, nos pilares que levam ao trânsito seguro. Nesta semana, foi feita ação na Avenida Vitorino Freire, em frente ao Ceprama, local em que o fluxo de veículos é bastante intenso e onde já aconteceram também vários acidentes. Já foram realizadas pela SOS Vida cerca de 80 ações em faixas de pedestres em São Luís, com panfletagem, orientações. “Entendemos que a Campanha SOS Vida, além de realizar seu trabalho, estimula que outros organismos da sociedade também façam algo pelo trânsito seguro. É conscientizar motoristas e pedestres pela paz no trânsito”, contou Lourival da Cunha Souza, coordenador-geral da Campanha.

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), por meio do Departamento de Educação para o Trânsito, também leva ações lúdicas e educativas para vários lugares com objetivo de alertar para a importância da segurança no trânsito. Desde 2016, o Detran-MA realiza o Projeto Humanizar, com a participação de pessoas com deficiência vítimas de acidentes de trânsito em ações educativas de conscientização. O Humanizar inclui e sensibiliza a população sobre os riscos e consequências de condutas erradas no trânsito.

“As ações educativas do Detran-MA são inclusivas e permanentes. A participação das pessoas com deficiência, por meio do Projeto Humanizar, é uma realidade que dá certo e tem contribuído para tornar o trânsito do nosso estado mais seguro”, disse a diretora-geral do Detran-MA, Larissa Abdalla Britto.

Violência afeta a saúde pública

O custo anual com os acidentes de trânsito no Brasil gira em torno de R$ 35 bilhões, o que daria para comprar 300.264 ambulâncias. De acordo com o Detran-MA, as vítimas de acidentes com motocicletas ocupam 63% dos leitos de UTI no estado e representam 42% de todos os casos de paralisia. No Brasil, das 605 aposentadorias por invalidez por dia, 70% são em razão de acidentes de trânsito.

75% dos atendimentos do Samu na Grande São Luís são de acidentes com motociclistas. A grande maioria dos atendimentos na urgência dos hospitais Socorrão I e II são acidentados de trânsito. E quase a totalidade dos hospitalizados no setor de ortopedia da Santa Casa de Misericórdia são acidentados de trânsito

Dados

n Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, a metade das mortes no trânsito estão relacionadas com a ingestão de álcool pelos motoristas.

n De acordo com a Abramet – Associação Brasileira de Medicina de Tráfego -, a utilização de bebidas alcoólicas é responsável por 30% dos acidentes de trânsito no Brasil.

n De acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios, no Brasil, 45% dos acidentes de trânsito envolvem jovens do sexo masculino de 20 a 39 anos de idade.

VER COMENTÁRIOS
LER MATÉRIA COMPLETA
MOSTRAR MAIS