PERIGO

“Eles não estavam explodindo no céu, mas no chão, próximo a mim”

Os fogos de artifício promovem um espetáculo e tanto. Mas, para manusear os explosivos de forma correta e segura, é necessária uma série de cuidados

11/06/2013. Crédito: Honório Moreira/OIMP/D.A Press. Brasil. São Luis - MA. Venda de fogos de artificio.

“Eu lembro como se tivesse sido ontem. Era véspera de Natal, eu estava na casa da minha avó, com todos os familiares e amigos que passaram Natal com a gente. Na hora da contagem regressiva, que é algo tradicional na família, eu me preparei com o ‘foguete’, acendi com o isqueiro e esperei”, conta. E o relato continua: “Foi então que ouvi barulho de gritos misturado ao som dos fogos de artifício. O problema é que eles não estavam explodindo no céu, mas no chão, próximo a mim. Não senti nada na hora, somente horas depois, quando estava deitado numa cama de hospital”.

A história narrada é do estudante universitário Francisco Lopes, de 23 anos. Era Natal do ano de 2015. Após o acidente, o estudante foi levado às pressas para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Não apresentou risco de morte, apenas queimaduras de 2º grau na mão, braços e pernas. Ninguém mais se feriu. “Eu me lembro de não ter sentido nenhuma dor física. Depois, me toquei que a insensibilidade era por conta da alta quantidade de álcool que eu tinha ingerido desde antes da meia-noite”, relembra Francisco, apreensivo.

Hoje, o universitário afirma que quer distância de qualquer material explosivo e que a situação em 2015 o fez criar traumas de fogos de artifício. Mas, segundo o capitão Lisboa, do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, dá pra utilizar o material sem correr nenhum risco real. Basta seguir o que dizem as instruções na embalagem.

“Para soltar fogos de artifício, são necessários vários cuidados que começam desde a escolha do produto. Não deve ser comprado em qualquer lugar. As pessoas devem procurar casas especializadas e que tenham referência. É importantíssimo, também, conferir o certificado de garantia do fabricante. Temos uma infinidade de fogos de artifício e é sempre interessante observar as recomendações do fabricante”, alerta.

Aumento na procura

Com a proximidade das festas de fim de ano, a procura por itens pirotécnicos, como são classificados os fogos de artifício, aumenta consideravelmente. Pelo menos é o que garante a Tharcianne Cavalcante, gerente de uma loja credenciada especializada em itens explosivos como os fogos brilhantes. Segundo ela, a procura aumenta em 100%.

“Ao longo do ano, nós temos uma procura regular, mas é muito pontual. Atendemos pedidos para casamentos, festas de 15 anos, formaturas, aniversários de cidades em todo o Maranhão, festas de São João, comemoração de dias santos… Mas nada se compara à procura que a gente registra no fim do ano. As pessoas realmente gostam dos fogos de artifício e não abrem mão de comprar até mesmo os fogos mais caros”, relata.

Tharcianne fala dos principais itens que saem neste período do ano. “Os Fogos Coloridos – aqueles que explodem formando cores e desenhos no céu – são os mais procurados e seus preços variam de R$ 25 a R$ 30 a caixa com seis unidades”.

Em seguida, os fogos de tiro, que são os que explodem apenas fazendo barulho similar ao que se registra com tiros de arma de fogo. Esses costumam sair a R$ 15,00 a caixa com seis unidades. Os Fogos de Base também saem bastante, segundo a gerente. “Esses itens são montados em uma espécie de base para que não haja preocupação em soltar os fogos manualmente. Os preços variam bastante – entre R$ 65,00 e R$ 2.500,00”, diz.

Bonito, mas perigoso

É lindo de se ver. Ao explodirem, pintam o céu com cores vibrantes. O espetáculo brilhante já virou sinônimo de fim de ano. É tradição passar a virada de ano a observar o horizonte colorido. Os fogos de artifício são um show à parte. No entanto, apesar de ser encarado como uma brincadeira por grande parte da população, o uso dos fogos é algo muito sério.

Se usado de forma inadequada, pode acarretar graves acidentes. Para não correr riscos e deixar de comemorar em um momento festivo, é importante seguir algumas orientações de segurança. O capitão Lisboa esclarece os cuidados a serem tomados.

Nunca permitir que as crianças manipulem esse material. No caso de bombinhas mais simples, sempre deve ter a supervisão de um adulto. Também tem que tomar cuidado para usar esses fogos de artifício somente em regiões abertas, que não há rede elétrica, bandeiras ou árvores”.

Lisboa pondera, ainda, que os que manipularem os itens explosivos nunca devem tentar reacender o fogo de artifício que, por acaso, não chegou a explodir. Em casos de acidentes, “a primeira coisa é afastar as pessoas da vítima, para salvaguardar a vítima e proteger outras pessoas de acidentes. Se for um ferimento leve, lavar com água corrente, na temperatura ambiente”.

“Se precisar proteger o ferimento, que o faça com um pano ou toalha limpa. Não colocar nenhum produto químico no ferimento como, por exemplo, margarina ou creme dental. E nunca, em hipótese alguma, manusear esses produtos sob efeito de bebida alcoólica”, adverte.

MOSTRAR MAIS