Luto

Morre jornalista Othelino Filho aos 67 anos

Pai do deputado estadual Othelino Neto, faleceu por problemas cardiovasculares no Hospital Albert Einstein em São Paulo

Reprodução

Morreu na tarde de ontem, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o escritor, jornalista e advogado Othelino Alves Filho em decorrência de problemas cardiovasculares aos 67 anos. Othelino Filho era pai do vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Othelino Neto, e considerado uma referência da resistência escrita do Maranhão.

O falecimento de Othelino Filho foi divulgado pelo próprio filho em uma rede social. “Não conseguimos vencer essa batalha. Foi muito tê-lo como pai. Minha referência, meu ídolo. Queria ter convivido mais ou perdido menos tempo. Te amo hoje e sempre, pai”, publicou Othelino Neto no Instagram.

Trabalhou na Rádio Educadora, Rádio Ribamar, TV e Rádio Difusora. Foi chefe da Assessoria de Imprensa na primeira administração do prefeito Jackson Lago e secretário de Comunicação Social da Assembleia Legislativa do Estado. Exerceu temporariamente o cargo de secretário do Meio Ambiente e Recursos Naturais do governo José Reinaldo. Por três vezes, foi presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Radiodifusão e Televisão, de cuja fundação participou.

O corpo é velado nesta sexta-feira, 15, a partir das 16h na Assembleia Legislativa. O sepultamento ocorrerá no Cemitério do Gavião.

Trajetória

Raimundo Nonato Othelino Filho Parente Alves, conhecido como Othelino Filho, nasceu em 22 de dezembro de 1949 na cidade de Sobral, no Ceará. Filho do jornalista maranhense Othelino Nova Alves e da cearense Zeneida Parente Alves, Othelino Filho, desde pequeno, seguia os passos de luta ensaiados por seu pai. Quando adolescente, iniciou sua experiência com o papel, a caneta e o ideal.

Em 1964, durante o período da ditadura militar, foi estudar em Fortaleza. Nessa época, participou do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e recebeu a incumbência de editar o Jornal do Liceu do Ceará, que em muitos momentos era feito às escondidas. Aos 16 anos, fugiu de sua casa e veio em busca de sonhos no Maranhão.

Mais tarde, no ano de 1968, permaneceu definitivamente na Ilha de São Luís, que o abraçara desde o primeiro contato com a cidade. De maneira simultânea a essas mudanças de vida, Othelino Filho já ensaiava a profissão que iria seguir. Tornou-se correspondente, ainda adolescente, do Jornal Pequeno e da Rádio Timbira. Já em São Luís, o cearense com coração ludovicense formou-se em Direito, em 1974, iniciou o curso de Filosofia e alavancou o seu trabalho como jornalista.

VER COMENTÁRIOS
LER MATÉRIA COMPLETA
MOSTRAR MAIS