SISTEMA ITALUÍS

Adutora antiga é religada; Caema investiga falha em peça

A peça danificada após o rompimento no último sábado passa por auditoria técnica para avaliar as possíveis causas do problema; Água retorna de forma gradativa ainda nesta segunda-feira

Water tap

Após o rompimento de uma peça da conexão da nova adutora do Sistema Italuís, a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) informa que o abastecimento de água deve ser normalizado ainda nesta segunda-feira, 11. Empresas responsáveis pela obra foram cobradas e, na noite do último sábado, 9, foram iniciados os reparos.

Poucas horas depois da conclusão da obra que durou três dias, um vazamento de grande porte na Peça Y do sistema, localizada na altura do Km 56 da BR-135, ocasionou um atraso no retorno da distribuição de água em 159 bairros da capital maranhense. Essa peça é a responsável pela bifurcação que permite a utilização simultânea da adutora antiga e da nova, garantindo uma flexibilidade operacional.

O problema só pode ser detectado após o início do bombeamento na nova adutora. Desde o momento do rompimento, equipes da CAEMA e das empresas privadas trabalharam no local. “Foi feita a remoção da peça Y, a qual passará por um laudo de auditoria técnica, tanto por parte da Memps, como por parte da Caema. A partir disso poderemos afirmar qual foi o problema ocorrido com a peça, e assim fazer a religação do sistema novo”, explica Kellen Kalli, diretora técnica da empresa Memps, responsável pela confecção da peça. Segundo ela, uma equipe de 60 pessoas foi responsável pela manutenção até a madrugada de hoje.

Kellen afirma que a peça é preparada para aguentar até três vezes mais a pressão de evasão da água nas adutoras que é de 120 mca (Metros de Coluna de Água) e que no momento do rompimento essa pressão era de apenas 80 mca. “A possibilidade dessa peça não ter aguentado a pressão é mínima, pois ela passou por vários testes”, completa.

O Presidente da Caema, Carlos Rogério, explica que, para evitar problemas na adutora antiga, foram realizados reparos ao longo da sua extensão. “Nós inserimos válvulas de bloqueio de 5 em 5 km na adutora antiga, o que facilitará a manutenção, se necessário”. Ele se desculpa em nome da companhia pelo prejuízo causado à população. “Nós enquanto cidadãos também nos sentimos lesados pelo ocorrido e por isso estamos trabalhando com todo o empenho para que seja resolvido”, diz Carlos.

As equipes envolvidas na obra da adutora irão aguardar o resultado do laudo de auditoria técnica que deve sair em 15 dias.

As obras do Sistema Italuís tiveram início na última quarta-feira, 6, e a nova adutora com 19 quilômetros de extensão aumentará a distribuição de água em 30%, atingindo cerca de 600 mil habitantes da capital.

MOSTRAR MAIS