Política

Marcelo Tavares descarta ser vice de Dino

O secretário da Casa Civil do governo afirmou que seu projeto é concorrer ao cargo de deputado estadual e voltar à Assembleia Legislativa no ano que vem

Foto: Reprodução

O secretário da Casa Civil do governo Flávio Dino, ex-deputado Marcelo Tavares, disse ontem que não têm o menor sentido as especulações sobre sua suposta candidatura a vice-governador em 2018. Ele explicou que tem relações políticas com o atual vice, Carlos Brandão, o que o impediria de entrar na disputa de sua posição. Ainda mais porque nem o governador abriu tal discussão e não decidiu se mantém o tucano ou não.

Outra razão, explicada por Marcelo Tavares, é sua relação de parentesco com o deputado federal e ex-governador José Reinaldo, de quem é sobrinho. “Como defendo a candidatura de José Reinaldo ao Senado, não poderia ser candidato a vice. Não tem sentido eu e ele (o tio) entrarmos na mesma chapa majoritária. Meu candidato a senador é ele. Sobre a outra vaga, eu não me meto”, disse Tavares a O Imparcial.

Projeto

Marcelo não guarda segredo sobre seu projeto. Vai concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa no bloco do governador, com o qual divide espaço no Palácio dos Leões desde o primeiro momento da gestão “comunista”. Ele é do PSB, mas não fala em debandar do partido, a exemplo do tio José Reinaldo, que prometeu ingressar no DEM, mas depois resolveu aguardar os desdobramentos da política nacional.

Em um artigo, José Reinaldo explicou sua posição política como deputado federal. “Muita gente é movida por ideologia – esquerda e direita – e eu tenho convicção de que o povo não se interessa por nenhuma ideologia, mas por aquilo que lhe permite alcançar um nível de vida melhor”, escreveu o deputado federal.

Sem polemizar

Ao participar de uma sessão solene na Assembleia Legislativa, onde atua como articulador oficial do governo, Marcelo Tavares foi indagado por um jornalista se ele “considerava o ex-deputado Gastão Vieira traidor”, por ter se aliado a Flávio Dino. Tavares preferiu não polemizar o assunto.
“Não vou responder isso porque o Gastão sabe o que está fazendo e não me cabe julgá-lo pelas suas atitudes políticas. Mas não vejo nada disso”, respondeu.

MOSTRAR MAIS