NOSSA SENHORA DA VITÓRIA

Festejo da padroeira de São Luís acontece até dia 26

Comunidade católica participa de homenagens a Nossa Senhora da Vitória, padroeira de São Luís, na Igreja da Sé, em festejo que começa hoje e prossegue até o dia 26

Foto: Karlos Geromy/O Imparcial

O nome da Igreja é Nossa Senhora da Sé, e nem o padroeiro de São Luís é São Luís Rei de França. Fiéis e devotos de Nossa Senhora da Vitória, padroeira de São Luís, farão homenagem à santa a partir de hoje, com programação litúrgica e cultural, na Catedral da Sé (Praça Pedro II). A tradição já faz parte do calendário das festas católicas na capital. Por toda semana, aconteceram terços e missas na Catedral Metropolitana.

Além de tentar desmistificar a forma errônea com que algumas pessoas se dirigem à santa, o Festejo deste ano se prontifica a disseminar o tema “Com Maria, cuidando e defendendo a criação”, pensando para estar em perfeita sintonia com a temática da Campanha da Fraternidade 2017, que foi “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, tendo utilizado o lema “Cultivar e guardar a criação”.

“Muitos pensam que o padroeiro da cidade é São Luís, quando não é. Então, a gente também está com esse trabalho para que as pessoas conheçam mais sobre a Catedral Metropolitana e Nossa Senhora da Vitória, e o festejo é uma ótima oportunidade”, alerta Dorivan Lima, da Pastoral da Comunicação da Igreja.

Segundo o padre César de Sousa, pároco da Igreja há 10 anos, o tema do Festejo segue ao da Campanha da Fraternidade e chama para uma reflexão sobre como está a criação de Deus. “Infelizmente da pior forma possível. Deus criou os mares, rios, peixes, florestas… e a gente vê hoje desmatamento, queimadas, tudo poluído. O festejo vai continuar refletindo se estamos cuidando e defendendo a criação de Deus”, aponta.

A abertura do Festejo será com o terço meditado, às 16h30, pelo Colégio Santa Teresa, o que acontecerá todos os dias por outros segmentos da comunidade, permitindo que todos os presentes se unam em oração. Em seguida, será celebrada a Santa Missa. A programação cultural começa dia 19 (domingo), às 19h, com os artistas Tássia Campos, Marco Duailibe e Daffé.

Durante o período do festejo, várias igrejas estarão envolvidas na programação, a exemplo da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, Igreja Nossa Senhora Rosário dos Pretos e Igreja São José do Desterro.

No dia 26, no encerramento, a Missa Solene será celebrada às 7h30, seguida de Procissão luminosa pelo Centro Histórico, culminando com a Coroação de Nossa Senhora da Vitória, na Catedral da Sé.
O festejo é secular e remonta há mais de 200 anos. “Acredito que o festejo da Sé não é como o de São José de Ribamar, ou de Nossa Senhora da Conceição, que são festejos mais específicos de uma comunidade, mas não se compara como está sendo feito agora, com muito mais fiéis, mais participação dos devotos, mais pastorais, a Catedral está mais viva, mais evangelizadora, os turistas estão mais presentes”, acrescenta o padre César.

O título de Maria, como Nossa Senhora da Vitória, remonta ao ano de 1614, quando da expulsão dos franceses da cidade de São Luís, pelos soldados portugueses. Ela apareceu aos soldados, que estavam perdendo a batalha, desanimados e tristes, dando-lhes ânimo, força e, ao toque de suas mãos milagrosas, a areia se transformou em pólvora e os seixos em projéteis, permitindo que os portugueses impusessem uma severa derrota aos invasores. E, em memória deste feito, Nossa Senhora foi aclamada Padroeira da Cidade de São Luís, sob o título de Nossa Senhora da Vitória.

MOSTRAR MAIS