Operação Libertar

Desarticulada a maior organização criminosa de drogas do Maranhão

O esquema funcionava com participação de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Familiares dos presos contribuíam com distribuição, armazenamento e transporte de drogas

Foto: Reprodução

Depois de onze meses de investigação, a Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc), apresentou, nesta quinta-feira, dia 30, 47 acusados por tráfico de drogas, associação para tráfico e organização criminosa. Segundo o delegado, a Operação Libertar “desarticulou a maior organização criminosa fornecedora de drogas para o estado do Maranhão”.

Entre os acusados, está o maior fornecedor de maconha prensada, Edmilson dos Santos Lima. Conhecido por “Maranhão”, ele morava em Goiás, uma das portas de entrada da droga. Também foi preso Flávio Júnior, conhecido pela alcunha de “Goiano”. Ambos líderes da organização criminosa.

Operação Libertar: apresentação dos acusados

De acordo com investigadores, o esquema funcionava com participação de 30 acusados de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Familiares dos presos contribuíam com distribuição, armazenamento e transporte de drogas.

Durante o período de investigações, foram apreendidas mais de duas toneladas de drogas, avaliadas em, aproximadamente, 5 milhões de reais.

Veja o mapa do tráfico em São Luís

MOSTRAR MAIS