Oficial

Roberto Rocha assina ficha de filiação do PSDB

Em cerimônia discreta em seu gabinete, Roberto Rocha agora é o 12º senador a integrar a bancada do PSDB; A mudança que, no entanto, pode balançar o partido no Maranhão.

Tasso Jereissati, presidente nacional do PSDB e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin abonaram a filiação do senador maranhense. Foto: Divulgação

Com direito à transmissão ao vivo pela internet, o senador Roberto Rocha filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). O parlamentar maranhense, que saiu pelas portas dos fundos do PSB e com um pedido formal de expulsão do partido, está de volta ao ninho tucano.

Hoje, às 15h, Rocha oficializou seu retorno ao PSDB em uma solenidade sem pompas em Brasília. Na verdade, apesar de sua chegada sinalizar o início de mudanças na legenda no Estado, não parece haver um clima tão bom assim para festa. Tanto, que a cerimônia de filiação foi feita no gabinete de Rocha.

Após assinar a ficha de filiação partidária, o senador relembra sua passagem ao longo de 16 anos pelo partido. “Me sinto em casa. É muito feliz chegar em um momento singular da nossa história. Momento de grandes desafios, mas também de imensas perplexidades. Não é mais hora de partidarismos, politiquinha, populismo barato e ideologia de camiseta, é hora de um jejum ideológico, é hora de levantarmos a bandeira do Brasil”, ressalta.

O nome de Roberto Rocha não é unanimidade no PSDB maranhense. Na verdade, ele divide ainda mais as correntes internas do partido e pode até ocasionar uma debandada de alguns integrantes da legenda. No entanto, nacionalmente, o senador demonstra ter força com a cúpula tucana. O presidente nacional do PSDB, Tasso Jereissati, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e o Ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e outros nomes significantes para a legenda estiveram ao lado do parlamentar maranhense.

O senador Tasso Jereissati (CE), presidente nacional do PSDB em exercício, disse que o partido recebe Roberto Rocha como um dos senadores mais bem preparados para ingressar nos quadros da legenda. “É um amigo de muitos anos, que marcha junto com a gente. O PSDB conta muito com o seu preparo, sua garra e a sua inteligência”, destacou.

Há três semanas, Tasso e congressistas formalizaram o convite a Roberto Rocha. Em comunicado, o Diretório Nacional do partido afirma que a “a filiação dele qualifica ainda mais a bancada do PSDB no Senado e corrige uma distorção no quadro atual de alianças políticas no Maranhão”.

Roberto Rocha é agora o 12º senador a integrar a bancada do PSDB no Senado. Em breve, agendará um grande encontro para reunir membros e a militância do PSDB no Maranhão.

Distorção

A tal distorção a que se refere o comunicado pode ser interpretado pelo enfraquecimento da aliança entre PSDB e PCdoB no Maranhão. Apesar de serem partidos historicamente opostos, nas eleições de 2014, as duas legendas estiveram unidas pela eleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

A importância do PSDB naquele momento rendeu ao partido o cargo de vice-governador, ocupado pelo presidente da legenda no estado, Carlos Brandão. Dino também nomeou o deputado estadual Neto Evangelista como secretário de Desenvolvimento Social. Porém, a boa relação entre PSDB e PCdoB deverá ser abalada com o retorno de Roberto Rocha.

Primeiro, porque apesar de ter tido apoio do governador em sua eleição ao Senado, Roberto Rocha já deixou bem claro que é contrário ao governo comunista, não esconde sua insatisfação com Dino e tem como objetivo concorrer ao governo do estado no ano que vem. Agora no PSDB, sua candidatura ganha força, principalmente se o Diretório Nacional interferir nas decisões do Diretório Estadual.

Com a grande possibilidade de o PSDB ser oposição a Flávio Dino, alguns integrantes do partido, como o vice-governador Carlos Brandão e o secretário Neto Evangelista, devem deixar a legenda para continuar ao lado do governador.

MOSTRAR MAIS