ENTREVISTA

“Jogo em qualquer posição”, diz Duarte Júnior

Em entrevista a O Imparcial, o presidente do Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor falou sobre os trabalhos à frente do órgão e do Viva Cidadão, além das possibilidades de ser candidato às eleições de 2018

Foto: Karlos Geromy

À frente do Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) desde 2015, Duarte Júnior é uma das peças fundamentais do governo Flávio Dino (PCdoB). Isso porque as ações de fiscalização do PROCON-MA, junto às empresas, impactam diretamente na vida do cidadão maranhense. Duarte Júnior, aparentemente, atendeu às expectativas do governador – que agora tem planos ainda maiores para ele.

Em entrevista a O Imparcial, Duarte Júnior falou sobre o preço do gás e da gasolina, da sua atuação à frente do órgão e a possibilidade de ser candidato a deputado federal em 2018. Mesmo garantindo que ainda não houve uma conversa específica com o governador sobre isso, Duarte Júnior afirmou que se considera um “jogador apto a jogar em qualquer posição”, e que, caso seja convocado, está à disposição de Flávio Dino. Veja, abaixo, os principais trechos da entrevista.

O Imparcial – No início do mês, a Petrobras anunciou um aumento de mais de 12% no preço do gás. Em algumas cidades do Maranhão, o valor do botijão já chega aos R$ 100. Por que o preço final aumentou tanto para o consumidor e o que o Procon está fazendo a respeito?

Duarte Júnior – Na verdade, essa é uma dúvida que assola a todos. Uma hora o governo diz que são eventos naturais, outra hora diz que é a alta do dólar. O governo federal de fato não trouxe ainda uma explicação convincente e razoável para tantos aumentos. Existem várias informações desencontradas. O que importa é que, de fato, o governo federal tem essa autonomia para reajustar os preços. O que nós podemos fazer, enquanto órgão de defesa do consumidor, é acompanhar como que esse reajuste está sendo praticado pelas revendedoras e distribuidoras. Por isso, nós notificamos todas as que têm atuação no nosso estado para manter o preço do gás dentro da razoabilidade. E o resultado tem sido visto pela população.

O preço da gasolina também tem variado bastante, chegando a picos de quase R$ 4 aqui na capital.
Isso está acontecendo por causa de uma nova política do governo federal, que, por meio da Petrobras, já alterou 58 vezes o valor do combustível nos últimos três meses. Aqui no Maranhão, nós estamos agindo de forma muito firme, acompanhando de perto cada uma dessas situações. Não é à toa que, em 2015, nós ingressamos com uma ação civil pública e conseguimos reduzir o valor do combustível no estado. É por causa dessas operações, dessas ações, que hoje o Maranhão tem o segundo combustível menos caro do país. Em 2015, quando assumimos, Teresina tinha gasolina mais barata que em São Luís, algo que chamava muita atenção, porque a gasolina vem do Porto do Itaqui. Agora, a realidade é diferente. Essa diminuição do preço demonstra que estamos no caminho certo. E o que podemos informar ao consumidor é que começamos a notificar novamente todos os postos de combustíveis para que justifiquem os preços praticados. Além disso, vamos continuar realizando pesquisas de preço para informar ao consumidor onde tem o combustível de melhor qualidade e menor preço, de forma a incentivar a livre concorrência e também o respeito ao direito do consumidor.

O que foi feito com os Vivas?
O que a gente fez com Viva foi uma reestruturação. Acabando com gastos desnecessários, reestruturando a máquina pública, dando mais eficiência e eficácia. Nós conseguimos reduzir os nossos custos em 45% e aumentar nossa estrutura. Como nós conseguimos fazer isso? Acabando com contratos desnecessários, fazendo parcerias púbico-privada. Hoje, por exemplo, o Viva funciona dentro de shoppings, como o da Ilha, Pátio Norte, Passeio, Caxias, Tocantins etc. Com essas parcerias, nós estamos reduzindo muito nossos custos. Vamos inaugurar em primeiro de novembro mais um Viva em Imperatriz, que não tem custo algum para o estado, é fruto de um contrato de comodato. O empresário, no caso o shopping, nos dá toda uma estrutura e em troca nós oferecemos o serviço, sem qualquer custo ao estado, garantindo qualidade, conforto e segurança ao cidadão. E também garantindo qualidade de trabalho aos nossos servidores.

Circula pelos bastidores a informação de que o senhor pode se candidatar a uma vaga na Câmara Federal.
2018 é um ano de muitos desafios. Eu faço parte de um grupo liderado pelo governador Flávio Dino. E eu me sinto como um jogador apto a jogar em qualquer posição. Se for pra ocupar a presidência do Procon, vou ocupar com todo amor que eu demonstro através das minhas ações. Se for pra ir pra outra secretaria, também estou disposto e tenho condições de atender. E se for pra ir para esse desafio no Legislativo, também estou à disposição pra melhor servir o cidadão maranhense.

Mas já houve alguma conversa específica sobre isso entre você e o governador?
Até o momento não. Até agora, é foco no trabalho em prol de resultados. Mas, se for chamado, irei com toda certeza para servir melhor a população. Porque é isso que significa ser servidor público: utilizar o poder que tem, a oportunidade que tem, para servir bem as pessoas, seja onde for.

MOSTRAR MAIS