Infraestrutura

Rua Digna se expande e chega a 26 obras na Grande São Luís

Nesta semana, os trabalhos foram iniciados em dois bairros da capital: Coquillho e Vila Vitória, na zona rural.

Reprodução

O programa Rua Digna já chegou a 17 comunidades da Grande São Luís. E serão 26 até a próxima semana. O projeto está sendo expandido pelo Governo do Maranhão para levar ruas pavimentadas a locais que historicamente vivem em situações precárias.

Nesta semana, os trabalhos foram iniciados em dois bairros da capital: Coquillho e Vila Vitória, na zona rural. O programa vem ajudando a mudar a paisagem em ruas como a Tiradentes, a Boa Esperança e a Santa Ifigênia, na Vila Janaína, em São Luís. Foram 30 anos de convívio com a lama e a sujeira, até que a espera terminou.

“No período de chuva isso aqui ficava horrível, a gente tinha que sair tirando os sapatos e levantando as calças. Era horrível, pois ficávamos ilhados”, conta a moradora Iranir Otaviano Santos.

Outro morador da Vila Janaína, José Vitorino Câmara Gama diz que “já mudou o olhar das pessoas, que antes não acreditavam que a obra um dia chegaria”. Segundo, ele “a Janaína toda já está motivada”.

Entre os bairros que já receberam obras, estão Alto da Esperança, Pão de Açúcar, Jardim Tropical e Cidade Olímpica.

Além de melhorar as condições de locomoção e lazer, o Rua Digna também gera emprego e renda. São os próprios moradores do bairro que trabalham nas obras.

“É um programa que, além de ajudar a melhorar a mobilidade, propicia a geração de renda para os trabalhadores que estão desempregados e moram naquela rua e nas proximidades também”, diz o secretário do Trabalho e Economia Solidária (Setres) do Maranhão, Julião Amin.

Mais IDH

    Obras do Rua Digna mudam a paisagem de comunidades. (Foto: Handson Chagas)

Obras do Rua Digna mudam a paisagem de comunidades. (Foto: Handson Chagas)

Além da Grande Ilha, municípios do Mais IDH também foram contemplados com o Rua Digna. O Mais IDH reúne uma série de ações e medidas para melhorar as condições de vida nas 30 cidades mais pobres do Maranhão.

Com a inspeção de técnicos do Mutirão Rua Digna, o prazo máximo para execução é de 90 dias e o de prestação de contas é de 60 dias após o recebimento do recurso.

Responsabilidade social

Parte do material utilizado nas obras é produzida pelos internos do sistema penitenciário com as ações de ressocialização e profissionalização. O benefício aos internos foi resultado da parceria firmada entre os representantes da Setres e da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).