Aliadas da saúde

8 motivos para incluir as castanhas na sua alimentação

Além de proporcionar a sensação de saciedade, forte aliada do controle de peso, as oleaginosas são importantes fontes de nutrientes benéficos aos ossos e ao controle do colesterol

Reprodução

Ricas em proteínas, fibras e antioxidantes, as castanhas são produtos originalmente brasileiros que possuem uma excelente composição nutricional. Podemos incluir nessa lista de gorduras monoinsaturadas, ou as chamadas “gorduras boas”, o amendoim, a castanha-do-pará, de caju, nozes e amêndoas.

De acordo com a nutricionista Klara Rahmann, as castanhas podem ser consumidas diariamente, tanto soltas, ao natural, ou junto com uma fruta e/ou iogurte. “Cada semente tem o seu conteúdo próprio de nutrientes essenciais, de forma que quando consumidas juntas, e com moderação, oferecem uma boa dose de vitaminas do complexo B, vitaminas C e E, cálcio, ferro, zinco, selênio e demais compostos naturalmente antioxidantes”, explica.

Além disso, para quem tem uma vida mais corrida, hoje é possível encontrar no mercado produtos à base de castanhas sem conservantes e nutritivos. “Procuro sempre indicar aos meus pacientes barrinhas compostas de oleaginosas, na porção de 30 gramas, que é a quantidade ideal para um lanche entre as principais refeições. As barrinhas com castanhas inteiras são as melhores opções porque ganhamos mais em nutrição”, conta Klara.

A nutricionista elencou 8 motivos para incluir as castanhas na alimentação:

Assegura uma das sensações mais importantes para o controle de peso: a saciedade

Por conta da consistência mais dura (o que força maior tempo de mastigação) e a sua composição nutricional rica em gorduras insaturadas, fibras e proteínas, as castanhas são digeridas mais lentamente e estimulam a liberação de hormônios responsáveis pela sensação de saciedade.

Melhora o controle de peso e da glicemia

O tipo de gordura (mono e poli-insaturadas) encontrado nas oleaginosas é absorvido mais rapidamente pelo corpo e tem efeito no aumento do metabolismo, o que pode contribuir para o controle de peso. Elas também ajudam a controlar a glicemia, devido à associação entre o alto de teor de fibras, gorduras insaturadas e o baixo teor de carboidratos. Essa combinação estimula a liberação de uma quantidade menor de insulina (hormônio que leva à produção de gordura no corpo) e de forma mais sustentada, ou seja, trazendo menos fome, mais saciedade e, consequentemente, melhor controle da glicemia.

Fortalece os ossos e dentes

Devido ao alto teor de fósforo e magnésio presentes nas castanhas os ossos e os dentes são fortificados. Isso acontece por que o fósforo se une ao cálcio para tornar os dentes e ossos mais rígidos, quando os níveis de magnésio estão equilibrados.

Melhora a memória, aprendizado e concentração

As castanhas são ricas em vitamina E, selênio, magnésio e ômega-9 que agem no sistema nervoso, limpando as toxinas que levam a morte dos neurônios e contribuindo na prevenção de doenças cerebrais degenerativas como Alzheimer e Parkinson.

Fornece uma barreira antioxidante aumentando a imunidade

Substâncias naturalmente antioxidantes como a vitamina E, selênio, zinco e compostos fenólicos que estão presentes nas castanhas são capazes de combater a produção de radicais livres pelo corpo.

Reduz o mau colesterol

As castanhas têm baixo teor de gorduras saturadas e um elevado nível de gorduras insaturadas (as boas). Além disso, a presença de fitosteróis (extratos vegetais muito eficazes na redução dos níveis de colesterol) e antioxidantes também garantem a redução do mau colesterol.

Previne doenças cardiovasculares

Por meio da ação sinérgica dos ácidos graxos e de compostos bioativos presentes nas castanhas, elas possuem ações antioxidante e anti-inflamatória relacionadas à prevenção de doenças cardiovasculares. Isso porque é capaz de reduzir a oxidação do colesterol ruim (LDL).

 Reduz o risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer

As oleaginosas têm componentes de ação antiproliferativa, como gorduras insaturadas e compostos antioxidantes (vitamina E, quercetina, resveratrol e polifenóis) que ajudam a inibir a proliferação de células cancerosas.

MOSTRAR MAIS