São João

Grandes nomes se reúnem em show na Maria Aragão

Praça Maria Aragão será palco de um encontro com grandes nomes da Música Popular Brasileira como Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Flávia Bittencourt e César Teixeira, que farão uma grande festa junina

Reprodução

Uma homenagem aos festejos juninos. Assim promete ser o show deste domingo com a cantora Flávia Bittencourt e outros nomes importantes da música nordestina neste domingo (18), no palco da Praça Maria Aragão, com a presença de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e César Teixeira. O show contará ainda com a participação do Tambor de Crioula de Carla Corei-ra, Cacuriá de D. Teté e Boi da Maioba, representantes da cultura popular maranhense.

Em entrevista a O Imparcial, Flávia Bittencourt revelou que tinha vontade de realizar um show que pudesse representar um pouco de suas influências musicais. A cantora ressaltou que este show será também uma dupla comemoração entre ela e Geraldo Azevedo. Flávia Bittencourt completa 10 anos de carreira e ele, 50. Os dois artistas já dividiram o palco antes. “Quando fiz o projeto, resolvi chamar a Elba e o Geraldo Azevedo que são artistas que co-nheço há muitos anos. Só para você ter ideia, a primeira vez que fiz a abertura de um show com um artista de expressão nacional foi com o Geraldo Azevedo, quando ele se apresentou em Pedreiras. Naquela época, eu não tinha certeza se realmente eu queria ser cantora. Já a Elba eu conheci através do Dominguinhos que me apresentou pessoalmente quando realizá-vamos um trabalho juntos. E o César Teixeira é uma grande referência musical aqui do estado com quem também já fiz algumas parcerias”, contou Flávia Bittencourt.

Aberto ao público e gratuito, esse grande show foi viabilizado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Cemar. A cantora Flávia Bittencourt, que é madrinha do projeto social “Sonho de Alice”, convida a todos a levarem como doação simbólica 2 kg de alimentos não perecíveis ou livros, para serem repassados às crianças assistidas pelo projeto. O início da programação será às 17h.

O que o público pode esperar desta grande celebração à musica nordestina?
O que há de melhor. Este é um grande encontro com grandes artistas que têm um trabalho que se tornou uma referência para a música popular brasileira. Será uma grande festa, pois tudo foi pensado com muito carinho para que o público pudesse se divertir.

Você acabou de divulgar o DVD Leve em algumas cidades do país e também em Nova York, nos Estados Unidos. Como tem sido a receptividade deste trabalho?
Tem sido ótima. Estava percorrendo algumas capitais do Brasil quando surgiu a oportunidade de divulgar o Leve em Nova York. Foi uma experiência maravilhosa, pois também aproveitei para fazer um curso de intepretação na Susan Bastos Studio por onde já passaram grandes nomes do cinema como Nicole Kidman, Julian Monroe, Ophra, Madonna entre outros. Fiz este curso para apurar a minha técnica de apresentação no palco e também para aumentar a minha bagagem artística na área de interpretação, pois tenho realizado alguns trabalhos vol-tados para o cinema. Além disso, terminei o curso de música, mas continuo estudando sozi-nha, pois sinto a necessidade de ter uma rotina. Para mim isso foi muito importante. E em setembro viajo com a turnê Leve para São Paulo.

Além de cantar, você também está investindo no segmento da produção. Como tem sido esta experiência?
Produzir é difícil mas vamos aprendendo. Depois que você pega a manha, você pode realizar o que se idealizou com muita responsabilidade e com muita verdade. Se você não souber vender o seu produto, pode ter certeza que o seu trabalho não vai muito em frente e corre o risco de ficar parado. É um segmento muito competitivo, pois existem grandes produtores que já dominam o mercado, mas aos poucos você acaba se estabelecendo se fizer da forma correta.

Quais são os seus próximos projetos?
Seguir com a minha carreira. E continuar divulgando este último trabalho Leve que teve a participação do produtor musical Fernando Duplick, que produz música eletrônica. Com ele, fiz um remix do single Táxi Lunar, que já está disponível nas redes sociais. O Duplick trabalha muito bem essa questão da música brasileira com a batida da música eletrônica. E por en-quanto a gente está trabalhando neste bem bolado onde trabalhamos os arranjos musicais juntos, onde na música aparecem duas linguagens musicais. Como não paro, estou sempre pesquisando coisas que possam agregar ao meu próximo trabalho.