Barbárie

Jovem é queimada viva e esquartejada no Anjo da Guarda

Crime foi cometido por 6 homens que moravam próximos à vítima, gerando imensa revolta na população da área Itaqui-Bacanga

Um crime com requintes de crueldade gerou comoção e revolta na população da área Itaqui-bacanga. A adolescente Rayssa Melo Diniz, 17 anos, moradora do Alto da Esperança, no Anjo da Guarda, foi atraída por membros de uma organização criminosa para uma “boca de fumo”, onde foi drogada para depois ser queimada viva e depois esquartejada e os pedaços jogados em um esgoto que os levaria para a maré.
A barbárie foi praticada por seis homens, dos quais dois de menor idade, que moravam nas proximidades da vítima. Ela havia desaparecido da casa de sua família desde o dia 16, e desde então estava sendo procurada por familiares, mas seu corpo, em pedaços e em estado de decomposição, foi encontrado apenas no ultimo sábado (19), em uma área de mangue, no Alto da Esperança.
Logo que soube do ocorrido, o delegado Walter Wanderley deu início às investigações e conseguiu identificar todos os envolvidos. A PM passou então a realizar buscas e conseguiu prender um adolescente de 15 anos que participou do crime, tendo este esclarecido o crime, sua autoria e circunstâncias.
Segundo o delegado, o adolescente infrator havia saído recentemente do Centro de Ressocialização, mas não tinha retornado para junto de sua família, ficando na companhia de “amigos”, que seriam os outros autores do esquartejamento e carbonização do corpo de Rayssa.
O adolescente apreendido informou ao delegado que havia desaparecido certa quantidade de drogas da casa do traficante Miquéias Augusto Oliveira Silva, 19 anos, conhecido como “ Mil Graus”.
Por este motivo, este reuniu seu grupo, formado por Ivanilson Costa Ramos – “Rugal”; Elias Fernando Bandeira Alves, conhecido como “Coyote” e dois menores de 15 anos. Nesta reunião, os bandidos concluíram que a droga teria sido furtada pela adolescente Rayssa Melo Diniz e que por isto, teria que morrer.
O grupo elaborou um planejamento para dar fim à vida da adolescente. Coube a Elias a missão de atrai-la para a “boca de fumo”, já que Rayssa era viciada. Ela foi convidada por Elias para “cheirar” loló na casa de “Mil Gráus”. Rayssa atendeu ao convite e chegando à “boca de fumo”, foi dopada, tendo se deitado em uma cama quase inconsciente. Mil Gráus aproveitou e deu-lhe uma “gravata” apertando-lhe o pescoço até desmaiar.
Os bandidos enrolaram a vítima em um lençol e a colocaram em um balde grande, levando-a para a beira do mangue, onde foi jogada em um tanque vazio, coberta com galhos de mato seco e queimada, mesmo estando viva. Depois a esquartejaram e botaram os pedaços do corpo em um boeiro, para que as águas da chuva os levassem para a maré. Mas não choveu e os restos mortais de Rayssa foram encontrados por populares e reconhecidos por familiares.
A população revoltada tentou linchar os criminosos, não conseguindo, tocaram fogo na casa de “Mil Graus”. Os foragidos continuam sendo procurados pela Polícia Militar e investigadores da Quinta Delegacia Distrital (Anjo da Guarda), onde foi instaurado inquérito para apurar responsabilidades.
O adolescente de 15 anos que já foi apreendido, se encontra em uma unidade de internação de adolescentes infratores, por determinação da Justiça.
Todos os envolvidos neste crime são bandidos de alta periculosidade com extensa ficha criminal. “Mil Graus” se encontrava no Presídio Estadual pela prática de crime de roubo com uso de arma e ameaça de morte praticado em oito de dezembro de 2014, tendo sido liberado no dia sete de junho passado pelo benefício de liberdade condicional; Ivanilson Costa Ramos –“Rugal” possui uma extensa ficha criminal e há cerca de um mês foi preso por assalto e já s encontrava em liberdade. Os demais membros do grupo, são todos egressos da prisão por crimes de roubos e furtos.
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS