CORONAVÍRUS

No Maranhão

957
335193
290435
9595
DIA DOS NAMORADOS

Juntos no amor e nos negócios

Apaixonados na vida e no ramo de trabalho que escolheram, eles contam sobre desafios, vantagens e desvantagens, e ainda o segredo do sucesso para terem êxitos nos seus empreendimentos.

A engenheira química Larissa Machado e o biólogo José de Ribamar Miranda têm 28 anos e se conhecem desde que tinham 14.

Que tal ter alguém para amar e também para dividir as alegrias, os riscos e o sucesso de um empreendimento. Juntar negócios com amor dá certo? Neste Dia dos Namorados O Imparcial conversou com 3 casais que tem se dado bem em ambos os casos. Apaixonados na vida e no ramo de trabalho que escolheram, eles contam sobre desafios,  vantagens e desvantagens, e ainda o segredo do sucesso para terem êxitos nos seus empreendimentos.

Gerente da Unidade de Gestão de Soluções Empresariais do Sebrae Maranhão, César Guimarães deixa uma dica para os casais que querem empreender. “Primeiro estudar, observar o mercado, sentir quais necessidades esse novo negócio pode atender, qual será o seu diferencial enquanto empresa, e por que os clientes comprariam na sua ‘mão’ e não na do concorrente. Fazer um bom planejamento, estabelecer metas e trabalhar para alcançar os resultados. O Sebrae tem várias capacitações e consultorias que atendem as essas temáticas, consultorias que o casal pode receber que apoiarão muito em buscar elementos para a tomada de decisões”, disse.

Gerente da Unidade de Gestão de Soluções Empresariais do Sebrae Maranhão, César Guimarães diz que datas comemorativas são excelentes oportunidades de alavancagem de vendas, injeção de renda numa economia tão fragilizada.

Primeiro estudar, observar o mercado, sentir quais necessidades esse novo negócio pode atender, qual será o seu diferencial enquanto empresa, e por que os clientes comprariam na sua ‘mão’ e não na do concorrente.

E sobre como aproveitar bem a data para melhorar a economia, César Guimarães diz que “datas comemorativas são excelentes oportunidades de alavancagem de vendas, injeção de renda numa economia tão fragilizada. É extremamente importante aproveitar o momento que os consumidores estão propensos a comprar algum produto para presentear alguém. O mês de junho é muito lembrado pelas festividades folclóricas, mas não tão aquecido quanto as vendas, comparado com maio (Dia das Mães), por exemplo, então o Dia dos Namorados vem ao encontro dessa oportunidade”.

E para os casais que entrevistamos, e que já tem os seus empreendimentos, desejamos sorte e felicidades, no amor e nos negócios. Confira as histórias deles.

“O desafio é saber separar as coisas”

A engenheira química Larissa Machado e o biólogo José de Ribamar Miranda têm 28 anos e se conhecem desde que tinham 14. Aos 15 começaram a namorar, estão noivos e vão se casar no próximo mês. O relacionamento bem-sucedido deu lugar a um empreendimento bem-sucedido também: um sonho que se tornou realidade. “A Sonho Gelado começou em 2016 quando a gente estava na UFMA (Universidade Federal do Maranhão). Tudo começou quando eu tive um problema de saúde na família. Eu moro aqui com meus avós, e minha mãe, que é filha única, mora em São Paulo. Ela teve um câncer de tireoide, e a minha avó teve que ir cuidar dela. Foi um período muito difícil, eu tenho problemas de ansiedade e fiquei muito depressiva. Para me ajudar o José teve a ideia de a gente fazer algo fora da universidade, algo que além de nos distrair, nos desse dinheiro, porque universitário é liso (risos). Foi aí que começamos a fazer dindin gourmet para vender nos pontos turísticos de São Luís”, conta Larissa.

A engenheira química Larissa Machado e o biólogo José de Ribamar Miranda têm 28 anos e se conhecem desde que tinham 14.

A Sonho Gelado começou em 2016 quando a gente estava na UFMA (Universidade Federal do Maranhão). Tudo começou quando eu tive um problema de saúde na família. Eu moro aqui com meus avós, e minha mãe, que é filha única, mora em São Paulo. Ela teve um câncer de tireoide, e a minha avó teve que ir cuidar dela.

Com uma caixinha de isopor na mão, tudo o que vendiam era revertido em lanche para o casal. Até então, a venda era só distração. Foi a partir da participação na Feirinha de São Luís que viram que o negócio poderia dar certo. O primeiro investimento com o lucro dos produtos foi uma foodbike, e o segundo passo foi buscar a profissionalização no Sebrae para levar o empreendimento a sério.

Depois de formados decidiram colocar a Sonho Gelado para valer. “A gente faz o possível para ser diferente, com novos sabores, embalagens, fizemos cursos profissionalizantes, e hoje a gente não vende mais dindin gourmet, a gente vende sorvete artesanal no saquinho. Investimos para ficar algo mais profissionalizado”, disse Larissa.

E o segredo para tanto tempo junto e trabalhando junto? Larissa diz que o desafio é saber separar a vida profissional da vida a dois; as questões da casa, com as da empresa; e as dos empreendedores, com a do casal. “Temos muitas ideias divergentes, discutimos bastante sobre as coisas, porque somos diferentes. Isso acaba até juntando a gente, porque temos que entrar em consenso, temos que nos unir para as coisas darem certo. Acabamos ficando mais unidos por sermos um casal que empreende junto, e que precisa encontrar soluções para alcançar os objetivos, pensando no que vai ser melhor para a empresa, e não individualmente. E dá certo sim, principalmente quando as duas pessoas se propõem a fazer dar certo”, disse.

Administrando as diferenças

Luciana Pearce, 35 anos, e Leonardo Oliveira, 34 anos, estão casados há 2 anos e são empresários do ramo da moda. Antes de trabalharem juntos, cada um tinha seu negócio. Foi na pandemia, quando ambos passavam por dificuldades, que decidiram se unir para criar um negócio único. Algo que juntasse as forças e as qualidades empreendedoras de cada um dentro do segmento que já atuavam. Foi aí que surgiu a SAVAGE 98.

Negócio na mão, era hora de pesar prós e contras e combater o maior desafio: “impedir que os problemas da empresa fossem levados para o pessoal e vice-versa e tratar a questão financeira da forma mais transparente possível a fim de evitar discussões”, disse Leonardo.

Luciana Pearce, 35 anos, e Leonardo Oliveira, 34 anos, estão casados há 2 anos e são empresários do ramo da moda.

Com a vantagem de ambos já estarem familiarizados com o ramo, com as habilidades individuais de cada um, e com a vontade de realizar o sonho, a única desvantagem em um negócio de casal, segundo Leonardo, é o fato de que o negócio pode ser colocado em risco, caso as diferenças são sejam bem administradas. “Somos felizes trabalhando juntos, pois idealizamos nosso negócio como o ponto de partida para a realização de outros sonhos. Negócio e relacionamento dão certo sim, desde que se tenha noção das consequências de não se administrar as diferenças. Quando isso fica claro pra ambos, a tomada de decisão ocorre de forma prudente. No final, todos ganham. O segredo é agir sempre com sentimento de união, jamais de forma individualizada. Livre-se do ‘meu’ e valorize o ‘nosso’”, ensina Leonardo.

“Nossas ideias se encaixam”

Leandro Penha dos Santos e Juliete Paula Maramaldo Amintas, ambos com 32 anos, estão juntos há 11 anos. Ambos trabalhavam em estabelecimentos como restaurantes e bares de São Luís. Mas, com a pandemia e as medidas de restrições, as coisas ficaram difíceis. A solução foi apostar no que já tinham experiência.  “Ficamos parados por conta do fechamento de nossos empregos, então tivemos que nos reinventar para podermos sobreviver, daí resolvemos abrir nosso empreendimento, o JL Lanchonete e Restaurante. Começamos na garagem da casa da minha mãe e fomos crescendo. Hoje estamos em um local grande e espaçoso pra atender nossos amigos e clientes”, disse.

Leandro Penha dos Santos e Juliete Paula Maramaldo Amintas, ambos com 32 anos, estão juntos há 11 anos.

Começamos na garagem da casa da minha mãe e  fomos crescendo. Hoje estamos em um local grande e espaçoso pra atender nossos amigos e clientes.

Com o negócio estabelecido, o casal tem o desafio de tentar equilibrar as coisas da casa e do empreendimento ao mesmo tempo, mas com a vantagem de estarem sempre abertos a novas ideias para melhorar negócios e relacionamento. “Acreditamos que nossos esforços e nossa alegria servem de degrau para nossa vitória. Pois nós dois juntos estamos sempre com nossas ideias se encaixando. Nossa meta é consolidar um ambiente  em que a família seja bem tratada e bem servida com o máximo de qualidade e satisfação possível. E assim que a nossa meta for cumprida iremos oficializar nossa união. Deus nos dá forças para vencer cada dia mais”, disse.

VER COMENTÁRIOS
Entretenimento e Cultura
Esportes
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias