VENDAS

Artesanato maranhense fatura mais de R$ 80 mil na 21º Fenearte

Maranhão selecionou 4 artesãos para a participação na tradicional feira pernambucana.

Artesãos maranhenses participam da 21º Fenearte. (Foto: Divulgação)

A beleza e riqueza cultural do artesanato maranhense foi destaque de vendas da 21° Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), realizada entre os dias 10 e 19 de dezembro, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. 

A participação na tradicional feira pernambucana rendeu aos artesãos maranhenses a comercialização de 2.123 peças artesanais, contabilizando uma receita de R$ 88.815,00, o maior valor comercializado pelo artesanato do Maranhão em participações em feiras nacionais.

Mesmo diante do agravamento do cenário econômico no país e das restrições sanitárias imposta pela pandemia de Covid-19, o valor superou o comercializado durante 13° Salão do Artesanato, realizado em 2019, em São Paulo, quando, na ocasião, contabilizou uma receita de R$ 64.418,00.

Para a 21° Fenearte, a Secretaria de Estado do Turismo do Maranhão (Setur-MA), por meio da Superintendência do Programa do Artesanato do Maranhão, selecionou 4 artesãos individuais e 2 associações, sendo uma entidade representativa de Imperatriz e outra de São Luís. A Setur-MA custeou as passagens aéreas dos artesãos e o transporte das peças artesanais, além de contar com a apoio do Sebrae-MA, que financiou as hospedagens dos artesãos para o evento. 

As vendas superaram as expectativas dos artesãos que, por conta da pandemia, previam um número de peças comercializadas abaixo das projeções para esse ano.

O secretário de Estado do Turismo, Catulé Júnior, disse que o cenário positivo envolveu diversos fatores e destacou os resultados das vendas e o esforço que o Governo do Estado tem dado ao artesanato maranhenses.

“O volume de vendas alcançados na Fenearte trazem um retorno não só comercial, mas também de valorização do artesanato e dos artesãos maranhenses, que se sentem mais confiantes em produzir e voltar ao mercado presencial. As feiras são importantes vitrines de exposição para a produção, e participar desses eventos é colocar os nossos artesãos no mercado, favorecendo a comercialização e incentivando a melhoria constante na qualidade dos produtos apresentados”, destacou Catulé Júnior.

Um dos integrantes que esteve na comitiva maranhense foi o mestre artesão Douglas Lopes, de 46 anos, vencedor do Prêmio do Turismo 2019 na categoria artesanato. O prêmio deu ao mestre Douglas o direito de participar da Fenearte com todos as despesas custeadas pelo Governo do Estado, sem ter que passar pelo processo de seleção.  

O artesão destacou o sucesso de vendas e fez projeções animadoras para o ano de 2022. “Notícias positivas como essa deixa a gente mais estimulado, confiante e com perseverança para o ano que vem. A pandemia não acabou, estamos voltando com todo cuidado, mas a vacina nos deu oportunidade de voltarmos nossa vida ao normal. Foi bom saber que a nossa arte encanta as pessoas”, frisou o artesão. 

O superintendente de Artesanato do Maranhão, Carlos Martins, comemorou o sucesso das vendas mesmo diante da crise econômica e das restrições da pandemia, e destacou o planejamento realizado em parceria com a Setur. 

“O resultado alcançado foi muito satisfatório, haja vista, a feira teve um número de visitantes bastante reduzido esse ano, por conta da pandemia. A diversidade e a beleza das peças artesanais do Maranhão fizeram com que os artesãos conseguissem realizar um trabalho muito diferenciado e bater o recorde de comercialização”, destacou o superintendente. 

Tipologias diversificadas

Para essa edição da Fenearte, o Maranhão expôs um amplo acervo artístico e artesanal de 4.744 peças de várias tipologias diferentes, entre elas a Azulejaria, Cerâmica Vitrificada, Fibra de Buriti, Pintura em Porcelana, além do artesanato indígena.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias