CORONAVÍRUS

No Maranhão

946
337116
291803
9636
DIA DOS NAMORADOS

Amor em tempos de distanciamento social

Casais contam como a pandemia e o distanciamento social afetaram seus relacionamentos e desafios que tiveram de enfrentar

O isolamento social aproximou o casal Laíse e Guilherme/Foto: Valyne Oliveira

Dizem que o amor precisa de espaço e tempo para crescer e solidificar. É necessário paciência, vontade, se dispor para que dê certo. Esforço de ambas as partes. Querer de verdade. Talvez tenha sido isso que tenha feito os casais que estão passando pela pandemia da Covid19 continuarem firmes em seus compromissos. “A pandemia acabou fortalecendo o relacionamento, porque ao nos adaptarmos à nova realidade, passamos a viver muito mais a dois, evitando saída com amigos e rolês com mais pessoas”, contam os namorados João Guilherme Santos Morais e Laíse Ramos Serejo Silva. O isolamento social, ao contrário do esperado, aproximou os dois.

O relacionamento do casal tinha começado pouco tempo antes do isolamento social ser decretado, mas isso não foi exatamente um impeditivo para que continuassem juntos. “A gente acredita que a pandemia não afetou muito a nossa relação, nos preocupamos bastante quando tudo explodiu e a covid chegou por aqui, pois estávamos no início do relacionamento e de primeira decretaram o lockdown. Nesse período ficamos praticamente um mês sem se ver e foi o momento mais difícil, mas não ao ponto de abalar as estruturas do relacionamento”, lembra Laíse.

O primeiro caso de coronavírus foi registrado no Maranhão em 20 de março de 2020. De lá pra cá, estamos aprendendo a lidar com as mudanças em nosso cotidiano, e não foi diferente na vida amorosa de muitas pessoas. Foi necessário pensar formas de manter o que fazia sentido num mundo pré-pandêmico funcionando num mundo em que tudo é incerto e valorizar as pequenas coisas juntos. “A gente tentou e ainda tentamos nos reinventar procurando coisas novas para fazermos nessa situação, desde de hidratar o cabelo juntos a ajudar o outro limpando e guardando as compras de casa”, diz o casal, rindo.

O isolamento social aproximou o casal Laíse e Guilherme/Foto: Valyne Oliveira

A tecnologia foi aliada essencial. Videochamadas e ligações por áudio se transformaram em mais que ferramentas de trabalho remoto, mas ferramentas de proximidade e conforto em momentos turbulentos, tentando recriar a mesma emoção de ter seu objeto de afeto do seu lado. “Nos aproximamos muito em relação à comunicação. A gente explorou bastante os meios de comunicação para poder ficar perto de alguma forma, até porque a gente se via todo dia. Ficando presos, o jeito era inovar”, relatam Rafael Azevedo Barros e Jacksciene Guedes, que além serem namorados também trabalham juntos. “Usamos WhatsApp, Telegram, videochamadas. Foi tudo muito adaptado.”, contam.

Rafael e Jacksciene adaptaram as dinâmicas de casal para não perder o contato durante o isolamento social. Foto: Patrícia Adélia

A proximidade inesperada em tempos de distanciamento social foi um fenômeno curioso. As relações, mesmo que mediadas através de celulares e telas de computadores, conseguiram prosperar e evoluir, provando que a presença física não precisa ser o mais importante para um relacionamento. Além disso, o pequeno tempo que podem passar juntos fisicamente é mais apreciado. “Quando estamos juntos fisicamente nós aproveitamos bem mais”, conta Jacksciene.

Apesar do clima de leveza, nem todos puderam ou conseguiram lidar com tantas mudanças. De acordo com dados do Colégio Notarial do Brasil — Conselho Federal (CNB/CF), o Brasil bateu recorde em número de divórcios no segundo semestre do ano passado, com 43,8 mil processos em cartórios de todo o país.

Porém, se tem algo que aprendemos até agora, depois de um ano de pandemia, é a poder aproveitar o agora e celebrar o que puder, especialmente o amor e tudo que ele traz.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias