CORONAVÍRUS

No Maranhão

1068
218156
203423
4994
SÃO LUÍS

Cinzas e fé: Missa da Quaresma está mantida para esta quarta-feira

As missas serão presenciais e com transmissão pelo YouTube da Catedral. No Santuário Nossa Senhora da Conceição (Monte Castelo)

Reprodução

A quarta-feira de cinzas é tradicionalmente marcada pelo lançamento da  Campanha da Fraternidade em todo o país. Este ano, embora com restrições, não seria diferente. Em 2021, o tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica é “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, extraído da carta de São Paulo aos Efésios, capítulo 2, versículo 14.

A abertura da quinta edição da Campanha, realizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), ocorrerá de forma simbólica e virtual com a divulgação de um vídeo com pronunciamentos de representantes das Igrejas que compõem o Conic.

Iniciando a quaresma, igrejas e paróquias de todo o Brasil celebram missas presenciais e virtuais, nesta quarta-feira, 17. Na capital, São Luís, haverá missas em variados horários. Na Catedral Metropolitana (Igreja da Sé), a primeira missa será celebrada às 10h pelo Padre Roney; e às 17h30 presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Belisário. 

As missas serão presenciais e com transmissão pelo YouTube da Catedral. No Santuário Nossa Senhora da Conceição (Monte Castelo), as missas serão as 6h30 e 17h30 transmitidas pela Internet e presencial, porém para assistir presencialmente precisa ser feito um agendamento (3312-2553).

Realizada pela CNBB todos os anos no tempo da Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa, a Campanha da Fraternidade de 2021 é promovida de forma ecumênica, ou seja, em parceria entre várias Igrejas Cristãs. A CFE 2021 quer convidar os cristãos e pessoas de boa vontade a pensarem, avaliarem e identificarem caminhos para a superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual. 

Tudo isso através do diálogo amoroso e do testemunho da unidade na diversidade, inspirados e inspiradas no amor de Cristo.

Fraternidade Ecumênica

O tema da campanha deste ano causou polêmica. A discussão inflamada nas redes sociais, levou a CNBB a emitir uma nota oficial. 

O documento reafirma a Campanha da Fraternidade como uma marca e, ao mesmo tempo, uma riqueza da Igreja no Brasil que deve ser cuidada e melhorada sempre mais por meio do diálogo. Iluminado pela Encíclica Ut Unum Sint, de 1999, do Papa São João Paulo II, o texto aponta também ser necessário cuidar da causa ecumênica.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) tem sido realizada, em média, a cada cinco anos. A iniciativa congrega diversas denominações cristãs, sempre de forma ecumênica, valorizando as riquezas em comum entre as igrejas.

No documento, a presidência da CNBB reafirma que a Igreja Católica tem sua doutrina estabelecida a respeito das questões de gênero e se mantém fiel a ela. 

“A doutrina católica sobre as questões de gênero afirma que ‘gênero é a dimensão transcendente da sexualidade humana, compatível com todos os níveis da pessoa humana, entre os quais o corpo, a mente, o espírito, a alma. O gênero é, portanto, maleável sujeito a influências internas e externas à pessoa humana, mas deve obedecer a ordem natural já predisposta pelo corpo” (Pontifício Conselho para a Família, Lexicon – Termos ambíguos e discutidos sobre família, vida e questões éticas., pág. 673).

A presidência da CNBB afirma ainda nem sempre ser fácil cuidar das dificuldades levantadas pela realização de uma Campanha da Fraternidade e da caminhada ecumênica e de muitos outros aspectos da ação evangelizadora da Igreja, nem por isso se deve desanimar e romper a comunhão, o que segundo os bispos é uma das maiores marcas dos cristãos. “Não desanimemos. Não desistamos. Unamo-nos”.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias