CORONAVÍRUS

No Maranhão

4193
78115
57370
1943
PAIXÃO BRASILEIRA

Cerveja com puro malte é tendência no mercado cervejeiro mundial

Especialistas explicam diferenças entre os diversos tipos de cervejas e afirmam: além de apreciar, brasileiros têm buscado mais conhecimento sobre a bebida

Foto: Divulgação

Para um fim de semana de sol, nas festas, em encontros familiares e nas reuniões entre amigos, se tem uma bebida que quase sempre está presente é a boa e velha conhecida cervejinha. Estudo mais recente sobre o assunto, feito pelo IBOPE Inteligência, em 2018, revela que 64% dos brasileiros a definem como a bebida preferida para comemorar os bons momentos. Mas além de apreciá-la, cada vez mais gente vem se interessando por conhecer o universo cervejeiro, os elementos da composição e as harmonizações mais interessantes com todo tipo de cerveja.

Diante disso, o mercado cervejeiro vem investindo cada vez mais em inovação para agradar os “apaixonados” pela bebida e, especialmente nos tempos de crise, manter o consumo em alta. Com tantos rótulos, nacionais e importados, à venda no mercado, às vezes é até difícil fazer uma escolha, a não ser quando os consumidores se tornam fiéis a uma marca ou a um tipo específico. O geógrafo Ubirajara Júnior tem uma preferência. “Gosto muito de cerveja, aprecio diferentes rótulos, mas a de puro malte tem o sabor e o aroma mais intensos”, opina.

O geógrafo Ubirajara Júnior é um apreciador de cervejas e prefere a de puro malte

Esse também é o tipo preferido da servidora pública Tamara Pereira. “Cervejas com puro malte são as melhores que tem! São mais suaves, menos doce e se beber com moderação não tem ressaca no dia seguinte. Sempre prefiro uma puro malte e se a composição for só água, malte, lúpulo e nada mais, melhor ainda”, comenta.

A servidora pública Tamara Pereira não abre mão da cerveja puro malte

O que é o malte na cerveja?

Mas, afinal, que é o malte na cerveja? O sommelier beer Alessandro Maia, que é dono de uma cervejaria artesanal em São Luís, esclarece  “O malte pode ser formado a partir de uma série de cereais. O mais utilizado e popular em cervejas é a cevada, em virtude das qualidades que possui”. Ele acrescenta que para formar o malte, os grãos dos cereais passam pela malteação, o processo de umedecer e germinar o grão para, depois, ser torrado e se obter uma diversidade de características que irão aparecer em cada tipo de receita de cerveja.

Segundo o especialista, para produzir o malte, é preciso molhar os grãos até que comecem a germinar. Depois que esse processo ocorre, esses grãos são secados a diferentes temperaturas, torrados, ou mesmo defumados, de acordo com o tipo de característica que se deseja em cada estilo de cerveja. Dependendo da intensidade da torra ou mesmo do processo de secagem, o malte da cevada pode conferir sabores, cores e até texturas diferentes para a cerveja.

Cerveja com puro malte é melhor?

A puro malte é uma cerveja produzida somente com o malte derivado da cevada. Os ingredientes básicos de fabricação são água, malte, lúpulo e levedura. Algumas delas são produzidas com adjuntos, que são ingredientes alternativos ao malte. No Brasil, é permitido o uso de cereais não maltados (milho, arroz) em até 45% do total dos ingredientes da cerveja.

A puro malte é uma cerveja produzida somente com o malte derivado da cevada

“Um erro comum é pensar que cervejas puro malte são mais escuras ou mais pesadas. Isso não é verdade, já que existem estilos de cervejas lager que, mesmo seguindo a lei de pureza, são claras, refrescantes e leves”, destaca.

Uma cerveja com puro malte não necessariamente tem mais qualidade que outras. Em muitos estilos belgas, por exemplo, é comum a utilização de cereais não maltados para enriquecer os sabores da bebida. Até os alemães, apesar da Lei da Pureza, fabricam estilos com ingredientes além do malte da cevada, conforme explica Maia: “Por outro lado, cervejarias main stream, acabam utilizando cereais não maltados para reduzir custos. Mas nem sempre isso é regra: existem muitas cervejas artesanais que utilizam outros ingredientes na sua composição, como frutas e especiarias, e nem por isso a qualidade é comprometida. De qualquer forma, a classificação de cerveja puro malte pode ser um bom balizador para quem não quer abrir mão da qualidade”, indica o sommelier.

Conhecimento cervejeiro

Muitos apreciadores, especialmente os mais jovens, podem até pensar que a cerveja artesanal é algo recente na produção cervejeira do Brasil, porém, não é bem assim. O produtor artesanal de cervejas Rigel Abdala, que também é um estudioso da área, conta que a cerveja artesanal brasileira ganhou mais força no fim do século XIX, por causa do aumento dos impostos naquela época, o que inviabilizou a importação da bebida.

Abdala comenta que, por causa da moda que traz de volta o gosto pela cerveja artesanal, esses novos apreciadores, além do prazer em consumir a cerveja, também sentem satisfação em conhecer o universo que a rodeia. “O que se vê atualmente é a busca pelo resgate da cerveja artesanal no Brasil e um mercado em constante evolução. O novo jeito brasileiro de fazer cerveja vem ganhando cada vez mais espaço e novos apreciadores surgem todos os dias. São novas cervejarias surgindo a cada dia, com seus mais variados estilos e os mais variados ingredientes adicionados, aperfeiçoando cada vez mais a bebida”, aponta o especialista.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias