EM SÃO LUÍS

Aquiles Priester participa de tributo à Iron Maiden nesta quinta (26)

Ele se junta a um time de grandes músicos para um show de mais de duas horas e meia

Reprodução

Um dos maiores bateristas do mundo, Aquiles Priester, faz show em São Luís nesta quinta-feira (26) na Fanzine. Ele chega a São Luís acompanhando de um time de músicos que deve executar mais de duas horas e meia de clássicos do Iron Maiden.

Um dos pontos altos deve ser a execução na íntegra do álbum “Somewhere In Time”, grande clássico da banda inglesa. Além de tudo, o cenário do palco deve ser uma atração a parte com a presença de um Eddie de três metros e meio de altura.

A banda será composta pelo vocalista Fabrício Fonseca, os guitarristas Cristiano Wortmann (Banda Hangar) e Roberto Barro (Edu Falaschi Banda), o baixista Raphael Dafras (Banda Almah / Edu Falaschi Banda) e o tecladista Fábio Laguna (Banda Hangar/Edu Falaschi Banda), além do próprio Aquiles.

O grupo deve percorrer mais de 30 cidades do norte ao sul do Brasil. Foto: Reprodução

Aquiles começou sua carreira em 1997 na banda Hangar, depois fez história em uma das formações mais clássicas do Angra e atualmente é o dono das baquetas do Wasp, uma das mais tradicionais bandas do mundo.

A turnê “Onde os fracos não tem vez tour” deve percorrer mais de 30 cidades do norte ao sul do Brasil e São Luís deve ser um ponto histórico desse tour. A discotecagem para a noite desta quinta (27), fica por conta do jornalista Adalberto Junior, o famoso Playmobil.

Quem é o Eddie?

Eddie the Head ou Edward the Head é o mascote morto-vivo da banda de heavy metal Iron Maiden. Ele é uma figura constante nas capas dos álbuns da banda, bem como em seus shows. Derek Riggs se baseou em uma propaganda de guerra publicada durante a Guerra do Vietnã para desenhar sua primeira versão. Eddie também é personagem central no First Person Shooter Ed Hunter, de 1999; o jogo vinha junto com uma coleção de três discos contendo 20 músicas da banda, e os arquivos de instalação do jogo.

A banda tinha originalmente uma grande máscara (Noh) de uma carriola posicionada sob a bateria nas apresentações, que por tubos soltava sangue falso (tinta vermelha) pelo nariz, sujando todo o cabelo do baterista Doug Sampson. A máscara foi batizada de “Eddie, a Cabeça” (Eddie the Head) e acabou se transformando no mascote da banda. Acabaria ganhando um corpo somente a partir da capa dos primeiros compactos.

Dia: 26 de setembro

Horário: 20H

Local: Fanzine

2° Lote:

R$ 40,00 (inteira)

R$ 20,00 (APENAS PARA PROFESSOR E IDOSO)

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias