EDUCAÇÃO

Em 4 anos, Maranhão criou 1.435 vagas em universidades estaduais

Atendendo a uma reivindicação antiga de professores e estudantes, foi criada a UemaSul; no total, aumento de vagas nas universidades estaduais foi de 41%

Atendendo a uma reivindicação antiga de professores e estudantes, o governador criou a UemaSul (Foto: Divulgação/UEMA)

O Governo do Maranhão criou em quatro anos 1.435 vagas nas Universidades Estaduais. Até 2015, o estado tinha apenas Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) como única instituição pública estadual de ensino superior. Atendendo a uma reivindicação antiga de professores e estudantes, foi criada a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UemaSul). Ela começou nos campi de Açailândia e Imperatriz. Hoje, mais de 2.200 alunos são atendidos pela UemaSul.

Agora, mais dois campi estão sendo construídos: um em Estreito e outro em Imperatriz. A novidade mais esperada será o curso de Medicina, em Imperatriz. Vai ajudar a aumentar o número de médicos no Maranhão.

Juntas, UEMA e UemaSul vem expandindo o número de vagas nas faculdades públicas do Estado. Desde 2015 até o início das aulas no próximo ano, foram criadas 1.435 novas vagas. Hoje são ofertadas, aproximadamente, 4.900 vagas todos os anos.

Isso significa um aumento de 41% das vagas em disputa para os cursos das duas universidades em apenas quatro anos.

Cidadão do Mundo

Até 2015, a maioria dos maranhenses que estudava em escola pública nem imaginava poder estudar três meses no exterior, com todas as despesas pagas, para se aperfeiçoar em um idioma, conhecer novas culturas e se preparar melhor para a carreira profissional. Isso só foi possível com o Cidadão do Mundo.

É um programa que leva alunos da rede pública para um intercâmbio que já mudou a vida de 315 deles.

“Ir para outro país, estudar outro idioma com tudo pago pelo Governo do Estado num momento em que um programa do mesmo nível, o Ciência Sem Fronteira, foi suspenso pelo Governo Federal, é entender que no Maranhão as coisas são diferentes. Não vivemos mais no estado do atraso, onde a educação era deixada de lado”, diz Luís Anselmo, universitário da UFMA, que foi para o Canadá neste ano.

Cartão Transporte Universitário

Para estimular os alunos a continuarem estudando e não desistir dos cursos, foi lançado o Cartão Transporte Universitário. Até agora, já foram beneficiados 3 mil estudantes.

O programa dá bolsas de auxílio semestral de R$ 800 em parcela única a universitários que precisam percorrer mais de 100 quilômetros (ida e volta) para estudar. O cartão também vale para alunos do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA).

“O programa é importante pela dinâmica que apresenta em seu funcionamento, uma vez que ele faz transferência direta de renda para a juventude e também amplia o capital humano com ensino superior no Maranhão. Ele contribui com a transformação da educação superior no Estado”, diz a secretária de Estado da Juventude, Tatiana Pereira.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS