DIA DOS PAIS

Comércio espera aumento de 4,5% nas vendas

Data é comemorada no segundo domingo do mês de agosto e comércio local aposta nas boas vendas para compra dos presentes dos pais

Reprodução

Re­cen­te­men­te uma Pes­qui­sa de En­di­vi­da­men­to e Ina­dim­plên­cia do Con­su­mi­dor (Peic), re­a­li­za­da pe­la Fe­de­ra­ção do Co­mér­cio de Bens, Ser­vi­ços e Tu­ris­mo do Es­ta­do do Ma­ra­nhão (Fe­co­mér­cio-MA) em par­ce­ria com a Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal do Co­mér­cio (CNC), re­ve­lou que o nú­me­ro de con­su­mi­do­res lu­do­vi­cen­ses que pos­su­em al­gum ti­po de dí­vi­da re­cu­ou -0,5% na pas­sa­gem do mês de ju­nho pa­ra ju­lho. Com is­so, o per­cen­tu­al de 57,1% de con­su­mi­do­res en­di­vi­da­dos na ca­pi­tal ma­ra­nhen­se no mês de ju­lho de 2019 é o me­nor re­sul­ta­do des­de ju­nho de 2018.

Se­gun­do a Fe­co­mér­cio-MA, o ní­vel de ina­dim­plên­cia caiu -6,5% na com­pa­ra­ção men­sal e -8,1% em re­la­ção a ju­lho de 2018. A que­da do en­di­vi­da­men­to é um re­fle­xo do en­fra­que­ci­men­to do ní­vel de con­su­mo no úl­ti­mo mês, uma vez que o ín­di­ce de in­ten­ção de con­su­mo em São Luís apre­sen­tou uma re­tra­ção de -1,7% na com­pa­ra­ção do mês de ju­lho com o mês ime­di­a­ta­men­te an­te­ri­or.

Con­se­quen­te­men­te, a que­da da ina­dim­plên­cia ob­ser­va­da es­tá di­re­ta­men­te li­ga­da a re­tra­ção mo­men­tâ­nea da ob­ten­ção de cré­di­to pa­ra o con­su­mo, além de uma me­lho­ra re­gis­tra­da no mer­ca­do de tra­ba­lho lo­cal du­ran­te o pri­mei­ro se­mes­tre do ano.

Com a pro­xi­mi­da­de do dia dos pais, is­so dá um fô­le­go pa­ra que a po­pu­la­ção pos­sa com­prar al­go pa­ra pre­sen­te­ar seu pai. É o que pen­sa ven­de­do­res e lo­jis­tas. O Dia dos Pais é con­si­de­ra­da uma das cin­co prin­ci­pais da­tas co­me­mo­ra­ti­vas pa­ra o co­mér­cio local.

Do­no de uma lo­ja no Be­qui­mão, cu­ja mer­ca­do­ria é va­ri­a­da com ar­ti­gos de pre­sen­tes, con­fec­ções e aces­só­ri­os, o mi­cro­em­pre­sá­rio Ra­fa­el Lo­pes acre­di­ta que es­te ano se­rá me­lhor em com­pa­ra­ção com as ven­das do ano pas­sa­do. “Mes­mo com uma pre­sen­ça mais de mu­lhe­res pa­ra com­pras de rou­pas e aces­só­ri­os, te­mos ti­do tam­bém ou­tras pes­so­as que vem em bus­ca de uma car­tei­ra, um cin­to, um aces­só­rio de te­le­fo­nia… en­tão acho que te­re­mos bo­as ven­das”, acre­di­ta.

Com uma lo­ja de con­fec­ções na área da Cohab, a lo­jis­ta Ana Ma­ria Sil­va diz que já tem ha­vi­do uma boa pro­cu­ra por ar­ti­gos mas­cu­li­nos. “Ca­mi­sas, ber­mu­das, bo­nés… es­pe­ra­mos que se­ja uma da­ta de bo­as ven­das, por­que as pes­so­as ain­da es­tão bus­can­do pre­ços, os pro­du­tos”, co­men­ta.

Es­sa pro­cu­ra re­ve­la­da pe­los lo­jis­tas re­for­ça o le­van­ta­men­to fei­to pe­la Fe­co­mér­cio, em re­la­ção ao ní­vel de in­ten­ção de con­su­mo dos lu­do­vi­cen­ses, que  es­tá +2,4% mai­or do que no mes­mo pe­río­do de 2018.

Se­gun­do a Fe­de­ra­ção, o vo­lu­me de ven­das re­la­ci­o­na­dos ao Dia dos Pais des­te ano de­ve­rá ex­pe­ri­men­tar uma ace­le­ra­ção de +4,5% em São Luís na com­pa­ra­ção com a mes­ma da­ta do ano pas­sa­do.

Confira na próxima página dicas para não errar no presente

Próxima »1 / 2
VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias