VIDA

Setembro Amarelo: Campanha aborda a prevenção ao suicídio

Começa o mês de setembro e entidades chamam a atenção para a prevenção ao suicídio. Números de 2016 apontam quase 300 casos no Maranhão

Segundo o Centro de Valorização da Vida (CVV), a cada 45 minutos, um brasileiro tira a própria vida – uma taxa de mortalidade superior a muitos tipos de câncer. Ao todo, foram 90 mil casos registrados no ano de 2016. No Maranhão, cerca de 292 casos oficializados. De junho a agosto deste ano foram registrados 10 casos na Grande São Luís. Assunto tabu, o suicídio é uma grande questão a ser enfrentada pela sociedade e pelo poder público.

Para chamar a atenção da população para o grande número de casos, o mês de setembro foi instituído mundialmente como o período para sensibilizar e conscientizar sobre o tema. Entre as muitas ações relacionadas ao Setembro Amarelo, está a campanha lançada nas promotorias da capital, Setembro amarelo: mês de prevenção ao suicídio, que faz parte do programa Qualidade de Vida no Trabalho, iniciativa do Ministério Público do Maranhão.

Para o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, a campanha busca chamar a atenção para um problema grave e de saúde pública. “Todos nós devemos nos irmanar na defesa da vida e prevenção ao suicídio”, defendeu. A coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos, Lana Barros, explicou os objetivos da campanha Setembro Amarelo, desenvolvida em parceria com outras instituições públicas. “Temos que conjugar todos os esforços para preservar a vida e combater o suicídio, que efetivamente é um problema de saúde pública e precisa ser enfrentado”.

De acordo com relatório da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) divulgado no ano passado com dados de 2005 a 2015, o aumento foi de 30,7% no Brasil. No país, as mortes por suicídio representaram 7,3% do total de mortes violentas por causas externas em 2015, sendo o 4º maior motivo de mortes prematuras no país, totalizando 11.178 mortes, ou cerca de 30 mortes por dia.

Os dados mais alarmantes mostram o aumento desse índice nos estados do Amazonas (139,3%) e do Maranhão (127,8%), seguidos da Paraíba (93,1%), do Acre (75%) e do Piauí (66,7%). No Maranhão, em 2015, o número de suicídios representou 5,3% do total de mortes violentas por causas externas. Destaca ainda que no mês de agosto de 2017 foram registrados 7 casos de suicídio na grande São Luís. No decênio analisado, o aumento do número de suicídios no Maranhão foi de 155%, fazendo com que a taxa pulasse de 1,8 em 2005 (a menor do país) para 4,1 mortes por 100 mil habitantes em 2015, um crescimento já citado de 127,8%. Estes dados demonstram a necessidade urgente de colocar esta temática em destaque e tratá-la definitivamente como uma questão de saúde pública.

É fundamental divulgar entre a população os espaços que trabalham com o auxílio às pessoas que estão em sofrimento psíquico e pressionar os órgãos públicos a investir nas redes de atenção psicossocial, focadas na prevenção ao suicídio”, aponta o relatório. Pesquisas indicam que, em pelo menos 90% dos casos confirmados de suicídio, há relação com patologias de ordem mental, principalmente a depressão. Importa não confundir estado depressivo (a tristeza inerente às situações da vida) com depressão (tristeza persistente que demandará cuidados especiais), e resistir às consultas grátis oferecidas em sites da internet. Pesquisas recentes do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ) indicam que 40% dos brasileiros fazem autodiagnóstico pela internet, e mais de 72% se automedicam.

Como pedir ajuda- O Centro de Valorização da Vida (uma das mais antigas ONGs brasileiras, formada em 1962 e associada ao Befrienders Worldwide-união de apoio emocional antissuicídio) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os 2 milhões de atendimentos anuais são realizados por 2.400 voluntários em 90 postos de atendimento pelo telefone 188 (disponível 24 horas por dia, todos os dias), ou pelo www.cvv.org.br via chat, e-mail ou carta. Em São Luís, um serviço de amor ao próximo está disponível também para quem precisa ser ouvido, receber uma mensagem de positividade, ou ainda, se for o caso, uma prece restauradora. No Disk Amor Infinito – Uma Voz Amiga, o atendimento é feito através do número 3225-8600 por voluntários treinados e funciona todos os dias, das 18h às 22h, administrado pelo Pouso Obras Sociais.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS