SETEMBRO AMARELO

Campanha de prevenção ao suicídio acontece em São Luís

A Campanha Camilo Castelo Branco de Prevenção ao Suicídio acontecerá na manhã do próximo domingo, 16, na feirinha da Praça Benedito Leite. O mês é dedicado a conversas acerca do tema. Saiba como lidar com a situação

Ilustração de Luiza Normey.

O girassol sempre busca a luz do sol, que reflete em suas pétalas amarelas simbolizando o brilho da vida; em algumas culturas, transmite a renovação. O certo é que a flor, assim como sua cor, ganham destaque em setembro, mês escolhido para quebrar o tabu em relação à segunda maior causa de morte no mundo – o suicídio – e conversar sobre sua prevenção. Em São Luís, a Campanha Camilo Castelo Branco de Prevenção ao Suicídio trará mobilização acerca do tema na manhã do próximo domingo, 16, na feirinha da Praça Benedito Leite, no Centro.

Às 7h30, em frente ao Palácio dos Leões, voluntários com faixas e carro de som farão uma passeata até a Benedito Leite, onde, a partir das 9h, começa a programação. Haverá música, performances, recital de poesias e falas de autoridades no assunto, todas com o objetivo comum de promover a valorização da vida. A campanha em questão é nacional, mas na ilha é promovida pelo centro espírita Lar de José, mas não se atém à crença e sim à causa – por isso, irão se pronunciar, no evento, representantes de várias religiões distintas.

Veja Também

Setembro Amarelo

Mais de 800 mil pessoas cometem suicídio em todo o mundo; isso significa que, a cada quatro segundos, uma pessoa abre mão de sua própria vida. No Brasil, são 11 mil vítimas por ano. Esse mal não tem alvo específico, atingindo todas as faixas etárias, gêneros e classes sociais. Foi com base nesses dados alarmantes que o Centro de Valorização da Vida escolheu, em 2015, um mês em que o assunto pudesse ser trazido à tona, sem nenhum receio: setembro. O décimo dia deste mês é o Dia Internacional da Prevenção ao Suicídio.

Reprodução

Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), uma das maiores causas do suicídio é justamente não haver espaço o suficiente para falar sobre. Os dados indicam que 96,8% dos casos estão relacionados a algum transtorno psiquiátrico, frequentemente não tratado ou tratado incorretamente. Se houvesse mais esclarecimento, muitas vítimas poderiam ser poupadas.

Como ajudar uma pessoa que quer se suicidar?

  • Ouça com atenção e cordialidade;
  • Não julgue, não doutrine, não condene;
  • Ofereça apoio emocional;
  • Demonstre compaixão, respeito e ofereça ajuda;
  • Incentive-o a buscar tratamento médico, psicológico e espiritual;
  • Não finja que nada está acontecendo.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS