REFINARIAS

Petrobras anuncia redução 1% no preço da gasolina

Essa redução mínima não foi sentida pela maioria dos consumidores da capital, que ainda reclamam do valor cobrado nos postos de São Luís

Foto: Reprodução

Com elevações históricas no mês de abril, o preço do combustível tem pesado cada vez mais na carteira dos motoristas e feito muita gente pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem. Os valores flutuantes desde o início do ano vêm causando, além de dúvidas dos consumidores, irritação principalmente de quem vai a um posto de combustível, onde em uma semana se encontra um determinado valor na gasolina e, quando retorna na semana seguinte, houve uma mudança considerável nesse preço.

Constantemente, a Petrobras vem anunciando a elevação no preço da gasolina e do diesel nas refinarias. Os reflexos são rapidamente sentidos nas bombas, e o consumidor final chega a pagar até R$ 0,20 a mais no litro.

Na última semana de abril, o custo médio do litro da gasolina passou de R$ 4,215 para R$ 4,226. A Petrobras anunciou desde ontem a redução em 1,6% no preço do diesel em suas refinarias. A gasolina terá queda de 1%. Essa redução mínima não foi sentida pela maioria dos consumidores da capital, que ainda reclamam do valor cobrado nos postos de São Luís.

O professor Carlos Rios diz que, se os valores continuarem subindo vão pesar em outros meios de transporte. “A gente tem que fazer uma caça ao tesouro, procurando um posto que esteja R$ 0,01 mais barato. Aumentam o valor da gasolina, mas os salários continuam os mesmos, ninguém dá conta. Se continuar assim, eu vou comprar uma bicicleta e deixar o carro em casa”.

Uma pesquisa de preços divulgada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) aponta que na média nacional, a alta nos preços médios das últimas semanas atingiu 0,26%. No Maranhão o consumidor está tendo que pagar em média R$ 3,896 na gasolina e R$ 3,555 no diesel. Ainda segundo a ANP, o valor do diesel atingiu, em 28 de abril deste ano, o seu maior valor desde julho de 2017.

Lucro e prejuízo

Para motoristas que trabalham com o transporte de pessoas, os valores dos combustíveis em São Luís têm causado prejuízos na conta final de arrecadações por um dia inteiro de trabalho. Taxistas e motoristas dos carros-lotação temem ter que aumentar os valores das corridas para conseguir arcar com os custos do serviço. Para os motoristas de serviços de aplicativos de viagem, não está sendo muito vantajoso, principalmente, quando os valores são pré-determinados pelo próprio serviço.

Vinicius dos Santos, que é motorista de um aplicativo de transporte na capital, conta que precisa fazer várias corridas para ter um lucro realmente vantajoso e não abrir mão da maior parte do que arrecada reabastecendo o carro. “Eu trabalho o dia inteiro. Se não for assim, eu até tenho um lucro relativamente bom, mas na hora de reabastecer o carro vai a maior parte embora. Quando preciso abastecer em bairros como Calhau, quase tenho um infarto com o valor da gasolina”.

A variação entre os valores cobrados em postos de combustíveis de São Luís é bem grande, dependendo dos bairros onde eles estão instalados. É possível encontrar posto de combustível comercializando o litro de gasolina em média a R$ 3,79, em bairros como Anil, enquanto pode-se pagar até mais de R$ 4 em locais como Ponta d’Areia e Renascença.

Fiscalização

A presidente do Procon, Karen Barros, afirma que as fiscalizações continuarão diárias e indica que os consumidores devem sempre exigir o que lhes é direito. “O Procon está vigilante na questão dos combustíveis, inclusive, o órgão notificou todos os postos do estado para que justifiquem o aumento que nos parece abusivo e injustificado. Pedimos sempre que o consumidor solicite o teste de qualidade. Além disso, realizamos fiscalizações diárias para garantir qualidade do produto”, destaca Karen.

De olho no preço

Apesar de o Maranhão ainda figurar como o estado onde a gasolina é mais barata, bem diferente do Acre, onde ela está custando R$ 4,805, os órgãos de defesa do consumidor têm realizado fiscalizações e alertado motoristas para evitar abusos nas cobranças. Desde 2015, o Procon-MA vem realizando ações de controle e fiscalização de postos de combustíveis no estado. Já foram notificados o Sindicato dos Revendedores de Combustível do Estado do Maranhão, além de 244 postos de combustíveis, o que resultou em uma Ação Civil pública protocolada na Vara de Interesses Difusos e Coletivos no mesmo ano. Em 2017, foram fiscalizados 481 postos no estado, por meio da ‘Operação Batismo’. Dezesseis foram interditados por irregularidades.

Na semana passada, uma ação para impedir aumentos abusivos nos preços dos combustíveis notificou todos os postos da capital para justificarem a elevação no valor do preço da gasolina, que passou de R$ 3,69 para R$ 3,99 em alguns locais. Os postos deverão justificar os preços praticados em até 10 dias, a contar da data de recebimento da notificação, sob pena de incorrer no crime de desobediência, nos termos do artigo 330, do Código Penal, ficando sujeitos, ainda, às sanções administrativas e civis cabíveis.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS