COMPORTAMENTO

Maranhenses preferem consertar celular do que comprar um novo

Diante da crise financeira, muitos maranhenses têm optado por consertar o aparelho de celular ou comprar um usado, ao invés de adquirir um novo

Reprodução

O que você faz quando o seu celular fica com defeito? Pesquisa realizada por uma plataforma de contratação de serviços no Brasil, o GetNinjas, revelou que nos primeiros três meses deste ano o site recebeu mais de 2 mil pedidos na categoria Assistência Técnica para Celular no Maranhão.

Segundo a plataforma, um aumento de mais de 30%, se comparado ao mesmo período do ano passado. O levantamento ainda aponta que o principal problema encontrado pelos maranhenses é a tela quebrada (45,81%), seguido de dificuldade em ligar o aparelho (23,20%) e bateria (14,53%).

De mandar consertar o celular ou comprar um novo, o estudante de Direito Ivan Santana entende. Somente no ano passado, ele comprou cinco aparelhos usados e mandou consertar outros dois. “Mandei consertar um Moto G1 e o 3 porque realmente ficaram mais em conta do que se tivesse comprado um novo. Porque eram problema na tela, então, foi mais viável consertar”, diz o estudante.

Este ano, Ivan Santana resolveu comprar um novo e garante que foi melhor negócio. “Se eu tivesse juntado todo o dinheiro que gastei com usados e os que mandei consertar, e tivesse guardado para comprar um novo, teria sido melhor, mas eu não tinha o dinheiro na época e nem disponibilidade para ficar sem aparelho por muito tempo”, explica.

O funcionário de uma assistência técnica, Paulo Ribeiro, diz que todos os dias chega alguém com celular quebrado para consertar. “Acho que não está fácil pra ninguém ficar comprando celular novo.

E, às vezes, quanto mais sofisticado, mais frágil, principalmente em relação à tela, que é o serviço mais procurado”, diz ele, confirmando o resultado do levantamento.

Para outro funcionário, os altos preços dos aparelhos fazem com que as pessoas busquem o conserto. “Com essa crise que está, seja por uma bateria ou uma tela trincada, quem comprou seu telefone com um preço alto não vai querer se desfazer dele”, diz Antônio José Campos.

A pesquisa revelou ainda que a maioria desses aparelhos está fora da garantia, cerca de 70% deles, e que as marcas mais pedidas para conserto são: Samsung (36,50%), Motorola (15,36%) e LG (15%). A urgência também foi avaliada pela plataforma. Mais de 80% dos clientes queriam resolver o problema o quanto antes possível.

O reparo nas lojas não autorizadas pode sair mais barato. Mas tem a desvantagem de não serem preparados especificamente pelas marcas e de não ter a garantia – ou seja, qualquer novo defeito é mais prejuízo.

Cabe observar

-Verifique se o aparelho ainda está na garantia;
-Você estava satisfeito com o aparelho antes dele apresentar problema?
-Quanto custou o aparelho atual e quanto geralmente está disposto a gastar com um novo;
-Verifique se o problema no aparelho depois de consertado corre o risco de voltar;
-Veja quanto custa o conserto e se vale a pena pagar.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS