SEM CONTATO

Avião militar desaparece no Chile com 38 pessoas a bordo

A aeronave decolou de Punta Arenas, sul do país, para uma base na Antártica

Reprodução/Google Earth

A Força Aérea do Chile anunciou hoje (10) ter perdido “o contato via rádio” com um avião militar C130 com 38 pessoas a bordo, que decolou de Punta Arenas, sul do país, para uma base na Antártica.

“Um avião C130 Hércules decolou da cidade de Punta Arenas para a base da Antártica Eduardo Frei Montalva”, de acordo com um comunicado. O contato via rádio foi interrompido.
Ao todo, “38 pessoas, incluindo 17 tripulantes e 21 passageiros” estavam a bordo.

A Marinha chilena lançou uma operação de busca e resgate, tendo despachado aviões e navios para a região.

O avião, que decolou da base aérea de Chabunco, em Punta Arenas, a mais de três mil quilômetros ao sul de Santiago do Chile, tinha como missão prestar apoio logístico à base na Antártica.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, e os ministros do Interior e da Defesa, Gonzalo Blumel e Alberto Espina, foram para o posto de comando da base aérea de Cerrillos, na capital chilena, para monitorar os trabalhos.

“Consternados com o desaparecimento do avião Hércules da Força Aérea chilena, que viajava com 38 passageiros rumo à Antártida a partir de Punta Arenas (…) vamos monitorizar as operações de busca e o envio de equipas de resgate”, escreveu Piñera na conta oficial da rede social Twitter.

Ajuda brasileira

O presidente Jair Bolsonaro determinou o envio de um avião de busca para auxiliar na procura do avião chileno. A confirmação foi dita na saída do Palácio da Alvorada, nesta terça-feira (10), e reafirmada em nota publicada nas redes sociais.

A Marinha também se prontificou a ajudar, com o envio do navio polar Almirante Maximiano, encaminhado com dois helicópteros para auxiliar nas buscas. Bolsonaro conversou na manhã desta terça com o presidente do ChileSebastián Piñera, e informou a ele a ajuda humanitária. “Acabei de entrar em contato, tem o avião que caiu, está desaparecido, indo para a Antártida. Oferecemos um avião de busca nosso, recém adquirido, colocamos à disposição deles”, destacou.

O presidente demonstrou sensibilidade e torce para que o apoio brasileiro consiga resgatar sobreviventes. Apesar disso, ele reconhece que as chances são pequenas. “Aquela região, quando acontece acidente, em poucos minutos quem cai na água não sobrevive. Estamos torcendo para que tenham sobrevivido, mas choca todos nós esses 38 (desaparecidos), a maioria militares, que desapareceram no momento indo para a Antártida. (…) Eu não sei se um avião Hércules, se fizer pouso forçado, se vai boiar ou não, eu não sei”, comentou. 

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias