SAÚDE

Febre Amarela: quais os riscos para o Maranhão?

Conversamos com Graça Lírio, Superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças do Maranhão, sobre a transmissão da doença. Será que os maranhenses correm risco?

Foto: Reprodução

O aumento de registro dos casos de Febre Amarela no Sudeste do país assusta e provoca dúvidas entre cidadãos de todo Brasil. Conversamos com Graça Lírio, Superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças do Maranhão, sobre a transmissão da Febre Amarela. Será que os maranhenses correm risco? Veja nossas perguntas e respostas.

O que é a Febre Amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por vírus transmitido pelos mosquitos vetores. O vírus é difundido pela picada dos mosquitos infectados e não há transmissão direta de pessoa para pessoa. Ou seja, você só contrairá a doença se for picado por mosquito infectado.

“A maioria dos casos são leves e com um bom índice de cura. O caso pode evoluir para gravidade, aí o índice de letalidade aumenta pelo fato da doença atingir o fígado e o funcionamento renal”, conta a superintendente.

Quem pode se vacinar?

A vacina pode ser aplicada em indivíduos a partir dos nove meses de vida, até os 59 anos de idade. Porém, a vacina é resultado de vírus vivo atenuado. Portanto, bebês menores de nove meses, idosos maiores de 60 anos, mulheres grávidas ou lactantes, pessoas que possuem enfermidades como Lúpus, Câncer, Aids e alérgicos a ovo, precisam de indicação médica para receber a vacina.

Não lembro se me vacinei. E agora?

Uma dose da vacina é o suficiente para imunizar contra a doença por uma vida inteira. Graça Lírio informa que aqueles que perderam a carteira de vacinação e não lembram se já tomaram a vacina, podem tomar a dose novamente, caso desejem. Mas atenção para o prazo! É muito perigoso tomar mais de uma dose da vacina em um pequeno espaço de tempo.

“Uma dose inteira é suficiente para garantir uma imunidade por toda a vida. Se esqueceu, então é necessário procurar um dos postos. Carteira de vacina é um documento importante. Principalmente em caso de viagem, onde é necessária a comprovação da vacina”, lembra Graça.

Qual a situação da doença no Maranhão? 

O Estado do Maranhão não registra casos de febre amarela há 23 anos. Ainda assim, a Secretaria de Saúde do Maranhão realiza constantes ações de imunização contra a doença e combate ao Aedes aegypti, vetor responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika vírus e chikungunya.

Como parte das ações de controle das arboviroses, será enviado oito carros fumacê para combate do mosquito nas cidades de Barra do Corda, Pinheiro e Cururupu.

A culpa NÃO é dos macacos!

Após dezenas de casos de macacos que foram vítimas da falta de informação no país, vale ressaltar que eles, assim como os humanos, também são vítimas do mosquito e NÃO transmitem a febre amarela.

“Os macacos são um alerta para o ser humano de que mosquitos infectados estão pela região, mas macacos NÃO são transmissores de febre amarela. Pelo contrário, eles também são vítimas como nós”, reforça a superintendente.

VER COMENTÁRIOS
LER MATÉRIA COMPLETA
MOSTRAR MAIS