CORONAVÍRUS

No Maranhão

6944
89057
68655
2185
RECUPERADOS

Maranhão registra 68.655 pessoas recuperadas de coronavírus

Nas últimas 24h, 1.114 pessoas se recuperaram do coronavírus no Maranhão.

Raimunda Idelfôncia é uma das pacientes mais idosas do Brasil a ser curada da Covid-19

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado neste sábado (4), pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Maranhão totalizou 68.655 pacientes curados de coronavírus. Nas últimas 24h, 1.114 pessoas se recuperaram do coronavírus no Maranhão. O número de casos ativos continua diminuindo, contabilizando 18.217 hoje.

Dos 18.217 casos ativos no estado, 17.405 estão em isolamento domiciliar, 467 internados em enfermaria e 345 em leitos de UTI.

Leia mais: Mais de 89 mil casos confirmados de coronavírus no Maranhão

Desde o início do monitoramento de casos no estado, já foram realizados 181.949 testes. Até hoje (4), 91.963 casos foram descartados e o número de suspeitos é de 6.944, fato que pode alterar os casos ativos, que decresceu essa semana.

O estado contabiliza 449 leitos de UTI e 1.151 leitos de enfermaria. Desses, 154 leitos de UTI estão livres e 750 clínicos também.

O boletim também informou que o estado tem 89.057 casos confirmados de coronavírus e 2.185 óbitos. Nas últimas 24h, foram registrados 32 novas mortes e 843 casos de Covid-19. O interior do estado contabilizou 652 novos casos, Imperatriz registrou 29 e a Ilha de São Luís teve 162.

Segundo informações da SES, os 32 novos óbitos registrados nas últimas 24h, aconteceram nas seguintes cidades: Apicum-Açu (1), Bacabal (1), Codó (1), Conceição do Lago Açu (1), Esperantinópolis (1), Governador Newton Belo (1), Igarapé Grande (1), João Lisboa (1), Paço do Lumiar (1), Timon (1), Viana (1), Vitorino Freire (1), Zé Doca (1), Colinas (2), Santa Inês (4) e São Luís (13).

O boletim informa também que, das pessoas que morreram, 62% são masculino e 38% feminino, a faixa etária com maior número de mortes é acima de 70 anos, com 87% apresentando comorbidades, sendo as principais hipertensão arterial e diabetes mellitus.

A evolução do número de casos da síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no estado continua em 19, estando presente na maioria dos casos o vírus da influenza B.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias