SOBERANIA NACIONAL

Flávio Dino discorda de aventura militar do Brasil na Venezuela

Flávio Dino (PC do B), disse em seu Twitter que o Brasil te tradição de paz e não foi agredido em sua soberania.

Foto: Mariana Botão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), publicou em seu Twitter, nesse domingo (24), o que acha da atuação brasileira quanto a situação atual da Venezuela. Para muitos, o que acontece na Venezuela é uma questão de soberania nacional e outras nações não devem interferir. Para Flávio Dino, o Brasil já enfrenta seus próprios problemas, como desemprego e recessão, e não deve entrar em uma aventura militar em um país vizinho.

Dino, disse ainda que o Brasil não foi agredido em sua soberania e que nossa constituição determina a solução pacifica de controvérsias.

Outras manifestações de políticos

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, expressou como uma intervenção fantasiada de ajuda humanitária, o que está ocorrendo na Venezuela e completou dizendo que o Brasil irá sofrer por essa posição de se submeter aos interesses dos Estados Unidos.

Já o Presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), disse em seu Twitter que a ajuda humanitária iria ser enviada e que o povo brasileiro se mobilizou para ajudar o país vizinho.

Representantes de 15 países se reúnem na Colombia

Sob tensão e em clima de guerra, presidentes, vice-presidentes e chanceleres  de 14 países, entre eles o Brasil, e mais os Estados Unidos se reúnem hoje (25), em Bogotá, na Colômbia. O presidente da Colômbia, Iván Duque, coordena o encontro com o  Grupo de Lima e o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, para discutir o acirramento da crise na Venezuela.

Na reunião, Pence deve propor a imposição de novas sanções contra o governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Para o governo brasileiro, é fundamental que mais países reconheçam o governo interino de Juan Guaidó como legítimo, de acordo com nota divulgada ontem (24) pelo Itamaraty.

Pelo Twitter, na sua conta pessoal, Pence afirmou que o esforço, durante a reunião em Bogotá, será para garantir liberdade e democracia para os venezuelanos. “Expressar solidariedade com os líderes regionais pela liberdade e contra Maduro. Encontro com o presidente colombiano Ivan Duque e o único presidente legítimo da Venezuela, Juan Guaidó. É hora de uma Venezuela livre e democrática.”

Brasileiros

Na reunião, o Brasil será representado pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Ambos viajaram ontem e, nos últimos dias, Araújo esteve em Pacaraima (RR) e na fronteira da Colômbia. Em nota, o governo brasileiro repudiou os atos de violência tanto nas áreas próximas ao Brasil quanto na  colombiana.

Araújo se reuniu com Guaidó e os presidentes da Colômbia, do Chile, Sebastián Piñera, e do Paraguai, Mario Abdo, na fronteira com a Venezuela. Eles acompanharam a organização da ajuda humanitária internacional para a população venezuelana.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS