BRASÍLIA

Comunistas fecham com Maia e podem ficar ao lado de Bolsonaro na eleição da Câmara

Partido do governador Flávio Dino surpreende ao anunciar apoio à candidatura de Rodrigo Maia, do Democratas, partido de centro-direita

PCdoB confirma indicação de apoio a Maia para presidência da Câmara (Foto: Richard Silva/PCdoB)

O Partido Comunista do Brasil, legenda do governador Flávio Dino, declarou nesta terça-feira (15) apoio à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ), para a presidência da Câmara dos Deputados. A decisão pode colocar os comunistas ao lado do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

A decisão incomodou militantes maranhenses de esquerda, principalmente no twitter e no Facebook, que exigiram um posicionamento do governador. Pela manhã desta quarta-feira (16), Dino foi entrevistado por um canal de televisão do Rio de Janeiro, e comentou a situação. “Claro que não se trata de nos aliarmos ao PSL, partido do Presidente da República, em relação ao qual nós temos divergências. O que ocorre é que, desde sempre, as disputas na Câmara não são entre direita e esquerda. Na verdade, o que se cuida é da institucionalidade, de que vai chefiar a casa. Nós temos divergências ideológicas em relação ao presidênte Rodrigo Maia, mas reconhecemos que ele tem sido, do ponto de vista institicional, correto na aplicação do regimento interno, na garantia do espaço para a oposição, na garantia do respeito das regras do jogo, do funcionamento da câmara, e é isso que nós desejamos”, afirmou.

Em nota, o PCdoB alegou que a decisão do partido visa buscar “as melhores condições possíveis para que a oposição exerça a resistência democrática, assim como a defesa dos direitos do povo e da soberania do país”.

Já a presidente comunista, Luciana Santos, vice-governadora de Pernambuco, divulgou vídeo informando que o país vive uma época que é importante defender a democracia. “No momento de uma correlação de forças muito adversas não é possível imaginar que um candidato do nosso campo ganhasse as eleições. Nós vivemos uma onda antidemocrática, de ataque ao nosso campo, então é necessário que tenhamos relações institucionais que possam garantir que a resistência e a atuação do bloco de oposição se de com o mínimo de civilidade e respeito às diferenças das pautas que vão do governo para a câmara dos deputados”.

O PDT de Ciro Gomes também fechou apoio a Maia. Já o PSB, outro partido de esquerda que pretende formar bloco de oposição ao governo, deve anunciar seu posicionamento ainda esta semana.

Através de interlocutores, legendas como PT e PSOL afirmaram que rejeitam qualquer candidato de direita ou ligado ao chamado “centrão”. O PSOL, inclusive, já lançou a candidatura simbólica de Marcelo Freixo (RJ).

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias