PROPOSTA 'ANTICRISE'

O preço da abstenção de Eduardo Braide no projeto Anticrise

O deputado foi o responsável por adiar de segunda (3) para quarta (5) a votação da proposta. O adiamento aconteceu por conta do pedido de vista de Eduardo Braide

Depois de pedir vista do projeto, o deputado Eduardo Braide se absteve de votar

Custou caro para o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) se abster de votar em favor ou desfavor do Pacote Anticrise proposto pelo governo do Maranhão. O deputado foi o responsável por adiar de segunda (3) para quarta (5) a votação da proposta. O adiamento aconteceu por conta do pedido de vista de Eduardo Braide.

A solicitação de vista no legislativo é feita quando o parlamentar quer analisar melhor a matéria, com isso, o projeto é retirado de pauta e deve ser devolvido no prazo de duas sessões. Por ser o principal opositor do governo do estado na Assembleia Legislativa, o deputado Braide não poupou críticas ao projeto em suas redes sociais.

Veja Também

Além de avançar nas críticas no projeto, Eduardo Braide (PMN) ainda fez um apelo para a população ir até o plenário para pressionar a base governista. Eduardo Braide teve uma votação histórica na região metropolitana de São Luís, em especial na capital maranhense. E o significado do voto de Braide tem um pouco do papel que ele adotou após as eleições municipais de 2016, o de ser o contraponto do governador Flávio Dino.

Em entrevista a este jornal, fazendo uma projeção da sua atuação na Câmara Federal, ele disse que ia votar com o povo e tinha noção do que as votações polêmicas poderiam trazer para um futuro político. Ele falou sem citar o nome da deputada Eliziane Gama, que ganhou a pecha de golpista e saiu pequena das eleições para a prefeitura de São Luís, mas conseguiu reverter o quadro político se elegendo senadora do Maranhão este ano.

Eduardo Braide também sabe a carga de uma votação polêmica. Em outubro de 2018, após as eleições ele disse “Agora, o momento é trabalhar para fazer um bom mandato de deputado federal. Fazer um mandato que seja voltado para o povo. Eu acho que as urnas deram um recado muito forte. Àqueles que se posicionaram contra o povo lá no Congresso Nacional e é exatamente esse trabalho que iremos fazer de forma de atender os anseios da população”, disse ao O Imparcial.

Já sobre esta votação, ele publicou um comunicado por vídeo. Em que começa falando que “Na política é preciso ter coragem para tomar decisões, ainda que elas não sejam compreendidas no primeiro momento.”, o deputado Eduardo Braide explica ainda apresentou e votou contra pontos do projeto que classifica como ‘abusos’. “Quando apresentei e votei as minhas emendas que retiravam os abusos do projeto do governo. Mas apesar de toda minha luta, minhas emendas foram rejeitadas.”, continua.

Ele diz que do projeto do governo do Maranhão, somente três poderiam ser aproveitados em favor da população. “Aí, eu tinha duas opções. Votar contra essas únicas três medidas que podem beneficiar vocês ou fazer o que fiz. Registrar abstenção e ir a justiça para retirar tudo de ruim que tem nesse projeto.”, reitera.

Para Braide o projeto não era totalmente negativo, talvez por conta disso recuou e adotou a neutralidade, deixando a bancada governista aprovar o projeto com mais folga. Mas o gesto se voltou contra o próprio deputado, e saiu de pauta a matéria votada e entrou em pauta o “não voto” de Eduardo Braide.

Esse é um sinal claro que os adversários de Eduardo Braide ficaram em vigília a cada passo que ele der na Câmara Federal. E os ataques não partiram somente do campo governista, mas também da própria oposição da qual Eduardo Braide faz parte. Esta última interessada também do encolhimento político de Eduardo Braide para uma disputa municipal.

Nesta reta final da Assembleia Legislativa, o cenário político fica na expectativa de como será atuação de Eduardo Braide na Câmara Federal. E como a classe política vai pesar cada voto do deputado do PMN. Vale ressaltar que a base de apoio de Jair Bolsonaro (PSL) ainda está sendo feita e não se sabe ainda como o PMN vai se comportar nas votações polêmicas e de qual bancada o deputado vai participar.

Reforma de previdência é uma dessas medidas necessárias, porém extremamente impopulares e devem ser usadas contra os deputados que pretendem se lançar candidatos a prefeitos nas eleições de 2020.
É esperar para acompanhar cada novo capítulo da novela que só acaba em 2020.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS