PRESIDÊNCIA

Nordeste coloca Haddad e Manuela D’ávila no segundo turno

No Maranhão a chapa encabeçada pelo petista teve 61% dos votos válidos, contra 24% do candidato de extrema-direita.

Fernando Haddad (PT) foi o mais votado em 8 estados do nordeste, com exceção do Ceará, berço político de Ciro Gomes(PDT). Jair Bolsonaro (PSL), venceu nos outros 16 estados e no Distrito Federal.

O Nordeste, que já tinha garantido a vitória a Dilma Rousseff em 2014, dessa vez colocou Haddad no segundo turno. No Maranhão, por exemplo, o petista teve 61% dos votos válidos, contra 24% do candidato de extrema-direita. No Ceará, Ciro recebeu 41%, enquanto Haddad ficou em segundo com 32%. Nos outros estados da região Ciro ficou em terceiro.

O candidato à Presidência da República, Fernando Haddad, e a vice Manuela D’ávila, durante declaração após resultado do primeiro turno das eleições. (Foto: Agência Brasil)

O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial, que durava desde 1994. Os tucanos venceram em 1994 e 1998 com Fernando Henrique Cardoso, enquanto os vermelhos triunfaram em 2002 e 2006 com Lula, e em 2010 e 2014 com Dilma.

O mapa do resultado das eleições mostra a clara divisão que vem acontecendo desde os anos 2000, onde o Nordeste vota no centro-esquerda, enquanto Sul e Sudeste nos partidos de centro-direita. A diferença dessa vez foi que a região mais conservadora do país resolveu radicalizar à direita.

Destaque para o Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país, e Rio de Janeiro, terceiro, onde o PT sempre venceu as eleições, mas que viu Bolsonaro ser o escolhido por 48% e 59% dos eleitorados, respectivamente.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias