Foto: RAILLEN Martins

O governador Flávio Dino (PCdoB) votou nesta manhã no Olho D’Água. Ele estava acompanhado dos candidatos ao Senado, Eliziane Gama (PP) e Weverton Rocha (PDT). Ele disse acreditar que a eleição no Maranhão será definida no primeiro turno e se mostrou confiante na eleição dos dois senadores de sua chapa.

“Fizemos uma campanha honrada, alegre, entusiasmada, em que o Maranhão diz claramente que quer que as mudanças sigam em frente. Fizemos um governo sério, focado nos mais pobres, honesto, e por isso nós temos a convicção de que hoje vamos colher uma grande vitória, seja com a eleição em primeiro turno da nossa candidatura, seja dos nossos dois senadores”, disse.

Foto: RAILLEN Martins

O atual governador disse que sua eleição representa “um novo capítulo” da história do Maranhão e o fim definitivo da oligarquia Sarney. “Estamos com a expectativa da vitória em primeiro turno. Isso significará o encerramento definitivo de um capítulo da história do Maranhão e o início de uma outra história. É a confirmação nítida de uma virada de página e a perspectiva é que a política no estado se revigore ainda mais”.

Ele criticou a chapa adversária, da governadora Roseana Sarney, a quem chamou de “chapa oligárquica”. “Essa eleição insistiram num caminho de três famílias. Basicamente retratado pela chapa que eles escolheram, uma chapa que não expressa o que é o Maranhão. Expressa o modelo oligárquico”, alfinetou.

Sobre o cenário nacional Dino disse que acompanha a posição do partido e que seu voto pessoal é para o candidato petista, Fernando Haddad. “Estou com essa expectativa da confirmação do segundo, do Haddad, que terá meu voto. Faremos uma reunião ainda essa semana, com todos os eleitos para tentar organizar a campanha do segundo turno”, disse.

Segundo mandato

Num eventual segundo governo Dino disse que “políticas sociais, geração de emprego e desenvolvimento serão seus pilares”, para continuar “os investimentos públicos em obras”. “Nós tivemos um momento muito difícil na economia brasileira nos últimos anos. Qualquer que seja o resultado da eleição nacional a economia vai retomar sua trajetória de crescimento e isso vai nos ajudar bastante”, comenta. Segundo ele, 2017 e 2018 já foram melhores e deve continuar melhorando.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO