DECISÃO

PM que matou médico em Imperatriz é expulso da corporação

O ex-PM também responde processo pelo atropelamento de uma criança de quatro anos, em Imperatriz, há seis anos.

Adonias Sadda foi expulso da PMMA após decisão do Conselho de Disciplina (Foto: Arquivo Pessoal)

O soldado da Polícia Militar, Adonias Sadda Sousa, indiciado na morte do médico Bruno Calaça, foi expulso da corporação após decisão do Conselho de Disciplina da Polícia Militar do Maranhão. 

A decisão, divulgada no boletim geral nº 218 de 23 de novembro de 2021, veio a público nesta quarta-feira (1º), ressaltou que Adonias foi expulso da PMMA “por ter tido conduta que afetou a honra pessoal, o decoro da classe e pundonor militar e ainda por contrariar o art. 40, incisos I, III, IV, XI, XII, XV e XVIII, da Lei n.6.513/1995”.

No dia 26 de julho deste ano, o policial foi flagrado por câmeras de segurança atirando à queima roupa contra Bruno Calaça, em uma boate, na cidade de Imperatriz. 

O ex-PM também responde processo pelo atropelamento de uma criança de quatro anos, em Imperatriz, há seis anos. O caso ainda está em tramitação na Justiça.

Adonias continua preso no Comando Geral da Polícia Militar, em São Luís, após ser transferido do quartel do 3º Batalhão da Polícia Militar, em Imperatriz, onde estava custodiado.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias