CORONAVÍRUS

No Maranhão

1026
26145
6664
853
CONFLITOS

Índio é baleado na cabeça em aldeia no município de Arame

O Governo do Estado solicitou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que seja enviada a Força Nacional, para evitar novos conflitos e mortes

Reprodução

No último sábado (04), um índio foi baleado na cabeça nas proximidades da Reserva Indígena Araribóia, no município de Arame, no interior do estado. Ele foi identificado como Antonio Filho Providência Guajajara e é o segundo indígena a ser baleado na semana.

Leia mais:

Segundo informações policiais, Antonio foi socorrido e encaminhado para o Hospital Municipal de Imperatriz, lá ele permanece em estado de observação médica.

Outro caso

Na última terça-feira (31) o líder indígena Zezico Guajajara foi encontrado morto na estrada da Matinha, próximo a Aldeia Zutiuá, também no município de Arame. A polícia investiga o caso e a correlação entre eles, uma testemunha já foi ouvida.

De acordo os outros indígenas da região, Zezico Guajajara havia saído pela manhã para fazer compras e foi encontrado morto por índios, ele estava com perfurações de bala pelo corpo. Os índios alegam que ele vinha recebendo ameaças de morte por conta de conflitos internos na aldeia.

A Secretaria de Estado dos Diretos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) emitiu uma nota sobre o caso, ela afirma que solicitou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que seja enviada para a área indígena, território federal, a Força Nacional, para evitar novos conflitos e mortes, confira na íntegra:

A Secretaria de Estado dos Diretos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) informa que, na data de hoje (04), o indígena Antonio Filho Providência Guajajara foi encontrado nas proximidades das aldeias Cafeteira e Katu, na Terra Indígena Araribóia, no munícipio de Arame, provavelmente vítima de tiro disparado por arma de fogo à altura de sua cabeça.

O mesmo foi encaminhado para o Hospital Municipal Socorrão da cidade de Imperatriz, onde passou por procedimentos médicos e exames e segue em observação.

A Sedihpop, através de seu Núcleo de Assessoria Indígena (Nassin), está acompanhando de perto o caso e diante do crescimento de conflitos internos na TI Arariboia, no estado do Maranhão, que resultaram no assassinato de Zezico Guajajara, e no atentado contra a vida de Antônio Filho Guajajara, ambos os episódios registrados nesta semana.

O secretário de Estado da Sedihpop, Francisco Goncalves, solicitou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que seja enviada para a área indígena, território federal, a Força Nacional, para evitar novos conflitos e mortes; assim, como seja determinada à Polícia Federal a apuração rigorosa destes e outros casos e as suas vinculações com o crime organizado na região.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias